quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Uma década...

Hoje no twitter as palavras mais usadas remetem ao tema sobre dez anos atrás (#10YearsAgo). As pessoas comentam o que estavam fazendo em 1999 ou sobre acontecimentos que marcaram suas vidas. Bom, eu estava saindo do ensino fundamental e ingressando no ensino médio. Tinha acabado de completar 15 anos e tinha na cabeça ideias malucas de um futuro que pra mim parecia estar tão distante.
É engraçado pensar em dez anos atrás, chega a dar um medo porque passou tão rápido. A vida passa muito rápido. Não temos tanto tempo assim e muitas vezes gastamos com coisas tão estúpidas. E no final só nos restam lembranças.
Lembranças de uma menina que teve que crescer, de sonhos que tive que abandonar e muitos, simplesmente tive que prorrogar... deixar pra mais tarde... pra quem sabe daqui a dez anos. Já parou para pensar sobre isso? Como será que vou estar com 35 anos? Onde vou trabalhar? Será que vou casar? Ter filhos? E rugas? Será que terei rugas daqui a dez anos?
Parece engraçado, mas há dez anos atrás eu não pensava nada disso. Nunca parei para escrever ou desenhar uma linha com metas e planos que queria para um tempo tão longo. Acho que vou fazer isso agora. Sentar e pensar no que quero para meu futuro. Aliás, ele daqui a pouco chega. Não é?!

(Em falar em twitter, me sigam lá @leilianelopes)





Aproveito para desejar a todos os leitores desse blog que vocês tenham uma entrada de ano maravilhosa, com muita paz, saúde e alegria. E não esqueçam para que todas as coisas nos sejam acrescentadas antes temos que buscar o Reino de Deus. Não quero ser chata, mas sem Deus nada podemos fazer. Pensem nisso!!
Feliz 2010 a todos.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

De quem é a culpa?

Marginal Tiete alagada // Foto: Futura Press


Diante dos desastres causados pela chuva que castigou a cidade de São Paulo ontem, várias pessoas se manifestaram culpando o atual prefeito da capital pelos alagamentos, deslizamento de terra, mortes e pelo trânsito. Na quero defender ninguém, mas quero mais uma vez lembrar que esses problemas são fruto de uma série de ações que nós como sociedade causamos.
Vi até mesmo um senador do partido do governo divulgando no twitter que as obras do governo e da prefeitura de SP fracassaram, mas vamos lá: o PT também assumiu a prefeitura e diante dos acontecimentos de ontem os resultados seriam os mesmos, ou seja, muita coisa precisa ser feita sim, mas na hora que assumem o poder nada fazem. Simples assim.
Como sempre essa política brasileira só consegue enxergar o defeito do time opositor e pouco se importa em realmente resolver os problemas da população. Concordo que pagamos impostos de mais e que os serviços básicos deveriam ter um pouquinho de qualidade, mas infelizmente a classe política está mais interessada em encher os bolsos de dinheiro.
Acredito que há uma culpa coletiva, tanto deles como nossa. Sim, culpa nossa. Não só por elegê-los e por alimentarmos esse sistema de acusação entre partidos, mas também somos culpados de não cobrar melhorias e em caso de alagamento ainda somos culpados pela quantidade de lixo jogada em lugares indevidos. Ainda dá tempo de acordar a sociedade brasileira.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Home Office

Continuo na vida de freelancer e apesar da insegurança até que tem suas vantagens, por exemplo, trabalho em casa fazendo meu horário, não pego condução lotada e nem trânsito. Estava conversando com uma das minhas tias pelo telefone essa semana, explicando pra ela o meu trabalho como assessora de imprensa. Por hora, tudo o que eu preciso para realizá-lo eu tenho em casa: computador, internet e telefone.
Mas apesar de trabalhar do lado da minha cama preciso ser bastante organizada a ponto de definir meus horários e me cobrar por causa dos prazos. Na última semana tive apenas três dias para divulgar um evento. Se eu não fizesse um plano de trabalho e seguisse rigorosamente o trabalho não teria dado tão certo.
Por outro lado enfrento um dilema: as pessoas não levam o trabalho a sério. Digo as pessoas aqui de casa. O pensamento que se tem de um trabalho está ligado a bater ponto todos os dias, ter benefícios, ser cobrado por um superior e etc. Minha mãe acha um absurdo que eu consiga trabalhar no meu quarto, ouvindo música e ainda com o msn ligado.
Tenho feito bastante pesquisa sobre o tema 'home office', acredito que seja o futuro do mercado de trabalho, principalmente para quem trabalha com comunicação. É mais econônico tanto pra empresa como para o profissional e se esse for bem disciplinado terá resultados até maiores do que teria dentro de um escritório.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Só assinando o contrato

Demora um tempo para que os recém-formados entendam o mercado de trabalho, isso porque somos formados para sermos funcionários, poucas faculdades ensinam os alunos a adminstrarem suas próprias carreiras e o empreendedorismo não é uma coisa muito fácil. Eu, por exemplo, estou tentando aprender na raça.
Me arrependi de não ter exigido a carteira assinada no JP, acredito que o pior erro de um profissional é não brigar por seus direitos. Outro erro que cometi nessa pequena "cartela de clientes" que consegui é não ter pedido contrato.
É um engano acordar as coisas só por palavras mesmo que você esteja colaborando com a empresa há algum tempo peça a fomalização do job ou da pauta, isso é bom para que os valores e as condições de trabalho sejam confirmadas. Aprendi isso tarde de mais...
Eu achei que por prestar trabalho para uma empresa por várias vezes eu poderia ocultar na conversa o "preço" do trabalho, achando que já saberiam. Desenvolvi mais uma vez um trabalho com ótimos resultados e ficou por isso mesmo. Sem um contrato assinado eu não podia cobrar nada, fiquei sem receber e a culpa foi toda minha. Mas agora aprendi: só assinando contrato!

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Beleza negra em destaque


Não sei se é por causa da nova novela das 20hs que traz uma negra como a atriz principal da trama ou se é pelo reconhecimento de uma beleza que por anos foi “subestimada” pela mídia e pela sociedade em geral, mas parece que a moda e consequentemente as capas de revistas, as passarelas e os comerciais estão apostando na beleza negra.
A “Revista Da Hora” desta semana trouxe 14 páginas sobre o tema e com fotos de modelos negros que estão ganhando destaque nas passarelas. Sem dúvida, profissionais que conquistaram o sucesso por suas competências e não por decretos de cotas raciais.
Sei muito bem que (infelizmente) existem barreiras na mídia e em tantas outras áreas para pessoas negras e isso não é só discurso de ONGs que defendem as causas raciais, mas mesmo assim acredito que as cotas, seja no vestibular ou nas passarelas, só aumentam essa segregação que é fruto de um passado de escravidão que tenta ser extinguido há 121 anos.
Mas a resposta disso está no trecho da entrevista do estilista da Cavalera: “Nossa marca é democrática. Não encaramos isso como exotismo, mas sim como o retrato de algo muito brasileiro. Fazemos ‘street wear’ e entendemos que nosso consumidor também é negro”, disse Fabiano Grassi para Revista Da Hora. Quando todos pensarem assim o Brasil vai ser diferente.
Bom, não quero falar sobre racismo, mas sim dar parabéns para novidades deste mês: Taís Araujo estreia na novelas das 20hs, Camila Pitanga às 18hs. As bancas também estão coloridas, a Criativa trouxe Camila Pitanga, Marie Claire apostou na Taís, a Helena de Viver a Vida. Já a PlayBoy trouxe Juliana Alves e a VIP mostra a beleza de Ildi Silva... são as cores de outubro... e isso é muito bom!!

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Saber o que fazer

Digamos que saber o que fazer é a segunda fase quando você já faz o que gosta. Já entreguei a matéria, não foi fácil mesmo parecendo ser. A primeira psicoterapeuta que contatei me pediu alguns dias e no prazo avisou que não daria para responder. As garotas que queriam falar não tinham muita coisa para falar sobre o tema, tive me redobrar para conseguir respostas que se encaixassem.
Mas no final deu certo, encontrei uma psicóloga e escritora muito bacana e a matéria ficou muito legal, pelo menos os meus amigos que leram gostaram, falta o parecer final da editora e depois é só esperar porque em novembro a revista estará nas bancas!!!

O trabalho da AW termino amanhã, mais uma vez foi um desafio muito grande. Peguei o trabalho no dia 22 de setembro, faltando 12 dias para o evento. Tendo poucos recursos em casa para realizar, mas me esforcei. E muito! E hoje posso dizer que a missão foi cumprida!
Os jornais da cidade publicaram a matéria, os maiores portais do ramo também, a lista de imprensa para cobertura está bem recheada e até ganhei elogios, tanto da banda como dos jornalistas que contatei.
A sensação de dar certo é tão boa. Não tem nada mais motivador do que o reconhecimento e para recebê-lo você tem que saber o que fazer e fazê-lo bem.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

De repente freelancer


Não tenho tido muito êxito nessa tentativa de voltar ao mercado formal de trabalho, área completamente abarrotada de profissionais e por esse motivo muito pouco valorizada, sem contar que hoje nem é mais regulamentada.
Esses dias cheguei em uma empresa e o dono já foi pedindo para eu entrar, ele tinha acabado de anunciar uma vaga para Criação de Marketing e achava que eu era a primeira candidata. Assustado com o currículo de jornalista ele me pergunta: e como você vai fazer agora que não precisa de Mtb?
Não sei o que vou fazer, mas por sorte virei freelancer. Estou com dois trabalhos engatilhados. Um começo para quem não tinha nada em vista. Assim como muitas pessoas o trabalho freelancer vira uma opção momentânea. Mas estou pensando em adotar isso como carreira. Será que consigo?
Conheço pessoas que já se deram bem com isso (né Lidi?) mas não sei se me encaixo no perfil de um profissional autônomo sem uma carteira de clientes que compareçam firmemente no final do mê$.
Fora isso, ainda preciso decidir se assumo o freela de jornalista ou de assessora. Infelizmente as pessoas não conseguem associar os dois trabalhos no mesmo profissional. Amo a reportagem, mas a assessoria é muito mais vantajosa.
No momento estou produzindo uma matéria para uma revista teen e fazendo a assessoria de um evento musical. Por enquanto dá pra conciliar, mas não sei decidir qual dos trabalhos eu invisto mais...
Enquanto não escolho deixo aqui algumas dicas que peguei no livro “Jornalismo Freelance, Empreendedorismo na Comunicação” de João Marcos Rainho:

Freela de texto:
Montar cadastro de editoras divididas por assunto e um cadastro de editorias por veículos.


Freela Assessoria:
Consiga um catálogo de empresas da área e de departamentos de comunicação de empresas. Saiba quem é quem nesses locais. Quem decide, quem contrata ou pode contratar freelas.

Regra geral:
Definir os veículos ou empresas aos quais você se julga apto para prestar serviços e depois faça contato.

sábado, 12 de setembro de 2009

Fazer o que se gosta

Acabo de voltar da Expo Cristã 2009, fui convidada para ajudar um amigo com algumas entrevistas para o site Casa Gospel, a última vez que tinha feito a cobertura desse evento e entrevistas com os artistas do meio foi em 2005, eu era apenas uma estudante com uma grande oportunidade de fazer o que sempre gostei: entrevistar.
A experiência de 2005 me marcou muito e hoje não foi diferente. O legal é ver o quanto a gente evolui nas técnicas de entrevista, sempre lembrando a importante dica de fazer a chamada "lição de casa" para na hora não ficar sem saber o que perguntar ou fazer perguntas óbvias. Até recebi um elogio (^^): "Nossa, você é jornalista de verdade, se todos fossem assim teríamos mais qualidade nas entrevistas", me disse um dos músicos.
É tão legal ouvir isso quando se enfrenta uma verdadeira guerra para tentar voltar ao mercado de trabalho, fora as cócegas que essas palavras fazem no ego... Bom, quando fazemos o que gostamos não tem como dar errado.
Amanhã é o último dia da feira que começou na terça-feira, dia 8 de setembro. Se der tempo ou se te interessar passe por lá, está muito legal. Para quem não gosta do "gospel" já adianto que na próxima semana já começa a Expo Music, os melhores músicos brasileiros dando sopa, quero dizer, autógrafos e pocket shows, vale a pena conferir!

As entrevistas de hoje estarão logo mais no CasaGospel.com. ;) Passa lá depois!!!!


* Foto: eu entrevistando a Vânia Marx

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Livros para ouvir

Acabei de ganhar um CD da minha mãe recheado de trechos de livros em MP3, já ouvi falar sobre esse novo modo de "ler" livros... Essa é uma maneira muito prática para quem mora em grandes cidades e gasta muito tempo para chegar ao trabalho, escola, faculdade ou até mesmo pra quem faz academia e etc.
Enquanto ouço as 15 faixas do CD eu resolvi deixar aqui essa pequena dica, para quem ainda não conhece dá pra fazer uma busca rápida no Google sobre os títulos já disponíveis em audio ou até mesmo acessar o site da PLUGME, empresa que forneceu essa pequena "amostra grátis" que chegou em minhas mãos com os grandes títulos dos últimos tempos como "O Pequeno Príncipe", "3:16, de Max Lucado" e outros... Dá vontade que comprar os CDs na íntriga ou até mesmo comprar o livro físico pra sentir os cheirinhos das páginas novas (eu adoro cheiro de livros).
Não sei se vou me acostumar em ouvir livros, mas mesmo para quem AMA segurar um, a experiência de ouví-los é bem bacana. Vale a pena!!

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Curriculum Vitae

Esses dias saí pela cidade com um roteiro de empresas onde gostaria de trabalhar e achei bastante engraçado como algumas pessoas se assustaram quando eu me apresentava e dizia que queria apenas deixar o meu currículo. Era como se eu estivesse meio ultrapassada já que nos dias de hoje os seres humanos “normais” optam em contratar serviços virtuais de recolocação, enquanto outras confiam no “toc toc” e saem às ruas para procurar emprego.
Bom, faz muitos anos que não frequento as famosas ruas do centro velho da capital paulista ( Rua 24 de Maio e Rua Barão de Itapetininga) onde estão fixadas muitas agências de empregos, mas nas últimas visitas que fiz por lá eu recebia muitos cartões com endereços eletrônicos dessas agências que parecia mais um pedido dos donos para diminuir as filas nas portas dos prédios e o acúmulo de papéis.
Em uma pesquisa rápida no Google não encontrei nenhuma curiosidade sobre a história do Curriculum Vitae (CV) só o que encontrei foi que sua tradução do latim quer dizer “trajetória de vida”, dizendo que nele colocamos informações sucintas sobre formação acadêmica e experiências profissionais.
Mas quem está disponível ao mercado sempre se preocupa em apresentar o melhor currículo ao examinador e para nos auxiliar existem inúmeros sites que ensinam como fazer um bom currículo. Seguindo essas dicas você se sente mais seguro na hora de tocar a campainha ou encarar a recepcionista e dizer que quer deixar seu CV.
Para quem acha que isso é coisa do século passado eu deixo a dica de um professor que tive na faculdade. Ele dizia que as empresas precisam te ver, te conhecer, perceber que além de formação e experiência você também tem interesse pelo trabalho daquela empresa. Tem forma melhor de demonstrar interesse do que rodar a cidade para encontrar seu lugar no mercado?

Não sou contra aos sites de recolacação profissional, muito pelo contrário, uso os gratuitos e participo de grupos de vagas, além de sempre vasculhar os Twitters que divulgam vagas na minha área. Acredito que nos tempos atuais devemos usar todas as formas possíveis para vencer o desemprego, eu, por exemplo, já cansei dele... Depois volto com outras dicas para quem está momentaneamente na mesma situação que eu.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Coisas da Vida...

Esses dias precisei sentar e conversar com algumas adolescentes para um esboço de um "novo trabalho", é incrível como essa geração é diferente da minha e olha que só tenho 24 anos. Mas tem coisas que não mudam, na geração da minha tataravó talvez não fosse assim porque os casamentos eram meio que "arranjados", mas da minha avó em diante a história de repete.
A Thaís, uma das 'entrevistadas' se queixava de ter que atender amigas desesperadas ao telefone por serem dispensadas ou trocadas pelos seus pretendentes. "Tem dia que eu não aguento ver tanta gente chorando por isso", dizia ela esperando receber de mim alguma palavra madura para mudar essa situação.
Infelizmente o que posso dizer sobre isso é que vamos crescendo e continuamos a conviver com essas queixas e por diversos momentos nós passamos para o outro lado da linha e fazemos também a nossa reclamação: ele não gosta de mim, ele me deixou, ele me trocou, ele me traiu, ele me iludiu e por aí vai.
É engraçado lembrar que enquanto somos novas pensamos que o passar do tempo vai resolver esses "contratempos" da vida, mas nem sempre isso acontece. É engraçado perceber que as reclamações amorosas são as mais constantes. Estava conversando com um amigo (sim, os meninos também sofrem com isso) sobre isso esses dias. Eu dizia pra ele que passamos por um desemprego, pela perda de um familiar, muitas vezes por doenças e não reclamamos tanto por essas coisas.
Mas se o assunto for paixão e seus infortúnios o choro é maior, a dor é maior, leva muita gente a ter depressão, a gente fica "acabada" mesmo. Eu sou pós-graduada em ficar "acabada" com isso. É difícil descrever a sensação que temos quando não somos correspondidos ou quando a "história de amor" acaba.
No final de 2007 escrevi uma matéria para o Guia da Semana onde contava uma experiência minha muito frustrante e angustiante. Tem quase dois anos que esse texto está no ar e eu ainda recebo e-mails de leitores dizendo o quanto se identificam com ele. Eu achei que por causa das correções da editora e por ela ter pedido algo mais "picante" muita gente ia reclamar, mas pelo contrário. O tema é mais comum do que eu imaginava.
Só que eu fico sem ter o que responder. O meu texto ajudou muitas pessoas, mas em mim ainda não fez efeito. Confuso isso, né? Já fiz de tudo para superar essa fase, mas é complicado. Hoje recebi um email a leitora dizia que lendo aquele artigo soube tomar a decisão para solucionar seu grande problema amoroso.
Eu já li várias matérias sobre botas e não consigo superar. Já escrevi vários textos sobre isso. Penso até em escrever um livro. Ele seria recheado das minhas angústias, talvez ele possa salvar outros corações apesar de ferir o meu. Já fiz de tudo, de tudo mesmo, mas é bastante complicado.
O que ameniza a dor é ligar para as minhas amigas. Tá vendo Thaís, ter alguém que nos ouve nesses momentos é melhor do que ter qualquer outra coisa. Que bom que suas amigas podem contar com você e que bom que eu tenho muitassss "Thaíses" do meu lado.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Brigadeiro de Microondas

Quem é que não gosta de fazer brigadeiro de panela no finalzinho da noite quando bate aquela vontade louca de comer um doce? Sei que esse pecado gastronômico é a tentação de muita gente, inclusive artistas famosas e modelos. Sim, aqueles corpitchos magrinhos também não resistem a essa delícia.
Bom, descobri um jeito muito mais rápido de fazer, a receita é a mesma, mas no lugar de ficar mexendo na panela é só levar para o microondas. Anote aí:

1 lata de leite condensado
2 colheres de chocolate em pó
1 colher de margarina sem sal

Misture bem em um recipiente para microondas e deixe na potência máxima por três minutos. Tire e misture mais um pouco, se for necessário coloque mais um ou dois minutos no microondas e pronto. Conforme for esfriando ele endurece. Fica bárbaro! Ah, dá pra usar o brigadeiro como cobertura de bolo de cenoura.

Dica importante: Usar achocolatado deixa o brigadeiro muito doce e dependendo da marca até enjoativo, por isso opte pelo chocolate.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Shopaholic

Já que toquei nesse meu lado Becky Bloom preciso contar um caso de superação que vivi hoje:
Como toda mulher consumista tenho crises que só passam quando a vendedora me dá a nota fiscal e entrega a sacola cheia.
Tirei o final da tarde pra matar esse desejo desenfreado de comprar qualquer coisa. Entrei em lojas, provei, não gostei, me irretei e tentei várias vezes. Quanto mais nervosa eu ficava me dava mais vontade de gastar.
Mas respirei fundo, olhei a última peça que estava provando e arranquei do corpo antes mesmo dela se ajustar e dar aquele falso sentimento de “problema resolvido”. Sai do shopping correndo e sem nada, porém muito feliz de ter rejeitado esse sentimento “do mal” que poderia acabar com a minha rescisão ( melhor dizendo, com a única parte que recebi dela – porque o JP está me enrolando :S). Às vezes respirar fundo ajuda a resolver esse descontrole.

Minha vida no cinema

Sempre me deparo com filmes que mostram situações parecidas com as que já vivi ou até mesmo com coisas que quero viver. A maioria trazem personagens jornalistas que faz com que eu me identifique ainda mais com eles. As semelhanças são tantas que muitas vezes são amigos que dão a dica do filme que, segundo eles, é "a minha cara", foi assim há alguns anos quando várias amigas me pediram para assistir o filme “Como Perder Um Homem Em Dez Dias”.

Em uma conversa sobre isso com a Lidi entramos em um acordo que o bom de ser jornalista é ver várias fases das nossas promissoras carreiras sendo exibidas em grandes clássicos do cinema. A melhor parte (para nós, claro) é que a grande maioria desses filmes trazem um romance bem sucedido no final.

Estou aqui fazendo um projeto antigo para quem sabe realizar um grande sonho profissional. Meu trabalho por enquanto é folhear revistas, anotar o nome de um monte de atores e ver no Google as sinopses dos filmes. Isso me fez lembrar dessas semelhanças - e quem sabe no meio desse “job” eu não ganho um romance de presente...

O último filme que vi que me inspirou muito foi “ Os Delírios de Consumo de Becky Bloom”, acho que por ser uma jornalista gastona que sonha com um emprego glamuroso e mesmo assim aceito propostas “pouco diferentes” disso...rs

Mas agora pode ser diferente... será que chegou minha vez?? Eba!!!

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Quando é hora de mudar...

Muitas vezes aceitamos situações com medo de romper com o que está estável e começar algo novo. O novo sempre assusta. A incerteza do que pode vir chega a causar tristeza e angustia. Mas insistir em algo que não dá mais certo é muito pior do que tentar ousar.
Ousadia. Essa é a palavra chave para quem precisa resolver um problema seja ele na vida profissional ou pessoal. Enquanto você não se arriscar em deixar pra trás essas situações que, mesmo sendo seguras te causam algum desconforto, você sempre vai conviver com aquele sentimento de "o que aconteceria se eu estivesse tentado?".
Eu pedi demissão do JP, mesmo sabendo que há uma crise no jornalismo e com a queda da obrigatoriedade do diploma isso pode ser agravado. Mas não podia continuar onde eu não tinha reconhecimento, não recebia o que merecia, eu estava me sentindo "explorada". Fora isso, aquele ambiente estava me assustando. Romper com aquilo foi uma escolha complicada, mas como recebi apoio dos meus pais eu me senti mais segura na hora de dizer basta.
Agora estou em casa, descansando e em breve voltarei a bater de porta em porta até conseguir uma recolocação. Dá medo, mas sei que fiz a escolhar certa.
Que venha o novo!!!

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Que delícia de dia!!!!


São Paulo consume cerca de 43 milhões de pizzas por mês e apesar de ser um prato italiano cada vez mais a pizza tem se tornado um prato típico paulistano.
Hoje é comemorado o Dia da Pizza em todo o Brasil. A data foi oficializada em 1985 pelo então secretário de turismo, Caio Luís de Carvalho, por ocasião de um concurso estadual que elegeria as 10 melhores receitas de mussarela e margherita. Empolgado com o sucesso do evento, ele escolheu a data de seu encerramento, 10 de julho.
Durante este dia e também ao longo desse final de semana vários restaurantes e pizzaria fazem promoções desse prato tão delicioso.
A cidade de São Paulo é tão fã desse prato que conta com uma festa de rua para comemorar o seu dia, é o 1º Sampa Pizza que começa hoje a partir das 18hs e vai até o próximo domingo, dia 12 de julho. Esse evento é promovido pela Associação Pizzarias Unidas de São Paulo, além de oferecer vários tipos de pizzas (assadas em forno a lenha, em forno a gás, fritas, redondas, quadradas e mais...) a festa oferece musicais, concursos e recreações infantis. Os organizadores aguardam a visita de 50 mil pessoas.
Se você estiver de bobeira em SP nesse final de semana aproveite.
Serviço:
Sampa Pizza
Endereço: Rua Catarina Braida, entre as ruas Taquari e Marcial, na Mooca, São Paulo. Horários: Dia 10, das 18h às 21h30. Dias 11 e 12, das 11h às 21h. Site: http://www.sampapizza.com.br/


A Pizza Gigante de 2,20m de diametro é uma das atrações da festa da Pizza na Mooca

terça-feira, 23 de junho de 2009

E agora, pai?

Meu pai assistia ontem a manifestação dos estudantes de jornalismo em diversas cidades do país e veio me questionar sobre o que aconteceria com o meu futuro profissional.
Fiquei com receio de dizer pra ele que hoje todo o sacrifício que ele fez em me ajudar a pagar a faculdade não vale de nada.
Quero dizer, vale sim, porque a faculdade me abriu horizontes e muitas oportunidades, apesar receber menos do piso (que não existirá mais) ainda ganho 10 vezes mais do que o meu primeiro emprego em 2002 (estágio do colégio como recepcionista de uma corretora). Mas se hoje, sem a formação, eu almejasse um emprego de jornalistas me exigiriam apenas aptidão para o cargo, diploma não.
Consultei a diretoria do Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo para saber o que podemos esperar como “resultado” dessa infeliz decisão do STF, assim que for respondida colocarei aqui e espero que as respostas sejam animadoras.
Continuo discordando que para ser “jornalista” só é necessário aptidão para escrever. E apesar de aplaudir muitos blogs de não jornalistas pela qualidade do conteúdo eu sei que blog não é jornalismo. Twitter também não.



Foto do protesto dos estudantes em Brasília.

POLÍTICA NO BRASIL QUALQUER UM FAZ, JORNALISMO NÃO!

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Sopa de letrinhas – sobre o fim da obrigatoriedade do diploma

Infelizmente o STF derrubou a obrigatoriedade do diploma para exercer a profissão de jornalista. Baseado em teorias de que o jornalismo não precisa de conhecimentos técnicos o ministro Gilmar Mendes chegou a fazer uma comparação ridícula de que o jornalista precisa ter talento nato igual a um cozinheiro.
Não desfavorecendo os cozinheiros, mas escrever notícia não é igual a fazer uma sopa de letrinhas. Mais do que dom, é necessário técnicas não só de escrita como de apuração de fatos e isso se aprende na faculdade.
Pela maioria dos discursos para ser jornalista precisa apenas saber ler e escrever sendo assim obrigando a classe a ter diploma de nível superior estaria tirando o direito constitucional das outras pessoas de se manifestarem na mídia.
A não obrigatoriedade do diploma vai refletir não só na qualidade da notícia como também nessa classe de trabalhadores, na qual eu me incluo, que sofrerá no bolso a desqualificação do ofício. Fora isso, a medida do STF ainda favorece o monopólio dos meios de comunicação.
A única notícia boa para os jornalistas formados foi dada no dia de ontem pelo presidente da ANJ (Associação Nacional de Jornais), Paulo Tonet Camargo, ao Jornal Nacional: As empresas jornalísticas continuarão a contratar funcionários com diploma.

quarta-feira, 10 de junho de 2009

O Poder do Salto Alto

Essa noite sonhei que comprava sapatos de salto alto. Com estampa de oncinha e salto agulha. Talvez seja um aviso dizendo que o que eu preciso pra fazer essa tristeza fugir é fazer umas comprinhas.
Não tem nada mais animador para uma mulher com a auto-estima abalada do que subir num salto e se olhar no espelho. Na verdade o salto tem um poder muito forte não só em quem está usando como também em quem nos vê.
Li uma vez numa revista que os homens preferem os saltos às rasteirinhas. Tinha um depoimento de um cara que dizia que não acha nada sensual uma mulher de rasteira, apesar de saber que elas são muito mais confortáveis.
A gente se sente mais especial calçando um salto porque ele nos coloca acima das outras pessoas. Pela história do salto ele foi criado exatamente para isso para colocar a mulher numa posição de destaque como forma de prestigiar e agradecer a importância da superioridade feminina.
Isso é tudo que preciso agora. Me sentir bem e nas alturas. Acredito que seja esse um ótimo antídoto para a depressão: saia para experimentar sapatos. Vocês já repararam com as vitrines de calçados chamam a atenção das mulheres? Pois não perca tempo, assim que pintar uma tristezazinha corra pra uma loja e prove um saltão. Mesmo que não vá comprar, vista os dois pés, olhe no espelho, dê uma volta e veja de cima para baixo como você é importante.

Foto tirada do site: Sobre Saltos

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Bendito seja o PhotoShop

Eu não gosto de divulgar esses emails em massa com piadas, histórias tristes ou pedidos de ajuda. Mas o email que recebi hoje foi muito engraçado e mostra como somos enganados pelos truques de imagens.








Suzana Viera mostra o corpão depois dos 50...



Hum... a maioria das mulheres de 50 anos tem um corpo assim mesmo

Essas fotos, ou melhor dizendo, o trabalho que fizeram nessas fotos gerou uma discusssão legal aqui no JP. Muitas pessoas influenciadas por toda essa "mentira" se sentem excluídas pela sociedade por não serem iguais aos artistas que aparecem na TV e nas capas das revistas.

Quantas mulheres com a idade da Suzana não gastam furtunas para tentar ser como ela. Só que ela não é lá tudo isso... O pior é que tem muitas meninas de 20 anos que estão se aventurando para ter um corpo perfeito e muitas vezes isso é prejudicial à saúde.

O que quero dizer é que a mídia constrói pessoas perfeitas e coloca na nossa cabeça que devemos ser tão perfeitos quanto e isso gera um baque na sociedade que busca uma imagem construída por mecanismos do computador.

Hoje estreia nos cinemas um filme (que parece ser legal) que fala sobre uma mulher perfeita. "A Mulher Invisível', vivida por Luana Piovani pode exemplificar bem isso: não existe pessoas perfeitas e enquanto procuramos por elas esquecemos de olhar e de cuidar de pessoas normais que nos cercam e que muitas vezes tem muito mais a nos oferecer do que uma bela imagem.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

O que houve com os céus?

Estamos entrando no sexto mês do ano e já tivemos cinco grandes acidentes no mundo. Em apenas um não houve vítimas fatais. Durante todo o ano de 2008 houve apenas seis.
2009
31 de maio: Airbus da Air France que fazia uma viagem do Rio de Janeiro para Paris, na França, desapareceu dos monitores dos radares. Até o momento ninguém sabe o que gerou o acidente.
22 de maio: Um bimotor King Air B350 caiu em Porto Seguro – BA, matando 15 pessoas. O avião explodiu após colidir com uma árvore.
12 de fevereiro: Um avião de passageiros cai sobre uma casa em Buffalo, Estado de Nova York, matando todas as 49 pessoas a bordo e pelo menos uma pessoa no solo.
8 de fevereiro: Um avião de passageiros cai em um rio no Amazonas, causando a morte de 24 pessoas, a maioria delas da mesma família.
15 de janeiro: Um avião da US Airways, em um voo doméstico, faz um pouso forçado no rio Hudson, em Nova York. Todos os 150 passageiros e cinco tripulantes foram resgatados e ninguém morreu.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Por que o choro da Maísa incomodou tanto?



Nas últimas semanas a mídia não fala em outra coisa além do fato da justiça ter proibido que a pequena Maísa Silva participe do “Programa Silvio Santos” devido aos dois últimos episódios. O primeiro a menina sai correndo do palco chorando de susto com um cantor mirim que estava com o rosto pintado. No segundo caso Silvio Santos relembra a garota do choro e ela incomodada com o assunto saí do palco e bate a cabeça em uma das câmeras.
Diante disso a opinião pública partiu pra cima do Homem do Baú, como se ele tivesse culpa no incidente da menina, uma garota de 7 anos que é sucesso na TV justamente por sua espontaneidade não poderia ser privada de agir de forma natural diante das câmeras.
Só que o Ministério Público entrou com ações para impedir que a garota continue no ar, alegando que o programa "Silvio Santos" não observou o direito à liberdade e o respeito à dignidade do ser humano em desenvolvimento, garantidos pela Constituição e pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).
No ofício, o promotor Pedro Antonio pede que a análise do Ministério das Comunicações observe os artigos 5º, 17, 18, 232 e 249 do ECA, criado para proteger as crianças de abusos, como a exposição indevida e vexatória.
Não há exposição vexatória no choro inocente de uma criança que se assusta como todas as outras. Exposição vexatória é uma criança obrigada pelos pais a pedir esmolas nas ruas, é induzir uma criança a fingir que tem deficiência física para conseguir dinheiro nos faróis. Isso sim tem que ser proibido, mas o MP está mais ocupado com casos da mídia.
Enquanto querem proibir o trabalho da apresentadora mirim, existem milhares de crianças que não tem acesso às escolas e não vemos nenhuma movimentação social em prol da solução desse problema.
Os twitter mais famosos da internet criticavam Silvio Santos se esquecendo que o trabalho da Maísa é muito bem remunerado e conta com o total apoio dos pais, responsáveis legais por ela, sendo assim não há exploração de trabalho infantil o que ocorre em milhares de usinas e fábricas pelo Brasil afora.
Enquanto estão preocupados com a Maísa inúmeras crianças são exploradas e abusadas e nós e o MP não fazemos nada para mudar isso!!!!

terça-feira, 26 de maio de 2009

A falta de educação no trânsito

Em uma aula de direção o professor do curso de CFC exemplificava os maiores problemas do trânsito do Brasil, boa parte causada pela falta de educação dos condutores e também pedestres.
Um bom exemplo disso foi o caso do deputado paranaense, o laudo do Instituto Médico Legal (IML) confirmou que o deputado estadual Fernando Carli Filho, de 26 anos, estava sob efeito de álcool na madrugada de 7 de maio, quando provocou um acidente em Curitiba que matou duas pessoas.
O que todo mundo se pergunta é como uma pessoa com uma vida social tão privilegiada consegue ser negligente ao ponto de beber sozinho quatro garrafas de vinho (segundo informou à polícia os garçons do restaurante onde o deputado estava) e ainda sair dirigindo pela cidade.
A falta de educação é o fator primordial para causar acidentes, falta de respeito com a pessoa que segue do seu lado na pista ou com a pessoa que está atravessando. É por isso que o no Brasil o trânsito mata mais que arma de fogo.
O instrutor seguia explicando como ele tenta formar um condutor ensinando para ele as normas do Código Brasileiro de Trânsito (CBT) que é bastante complexo, mas que visa fazer das vias somente um local de passagem e não um campo de guerra. Para ele as novas regras para tirar a CNH que entraram em vigor no início desse ano fazem parte do processo de “educação” de trânsito. Uma vez que você paga mais caro e tem que se esforçar mais para conseguir uma coisa você a valoriza.
Parece que os órgãos da área querem impedir que as pessoas percam suas habitações por motivos banais, fazendo com que elas percebam o quanto isso é importante. Mas além das multas e pontuações perdidas é necessário rever o código criminal para punições mais severas em situações, por exemplo, com quem causa um acidente dirigindo embriagado.
Muitas vezes a gente ouve pessoas dizerem que o problema da educação no país é a chave para melhores empregos e para diminuir a desigualdade. Porém, nesse caso não é só o governo que tem que promover a educação, uma vez que não falamos de ciências exatas e biológicas, mas a educação de moral, de cidadania. Essa sim precisa ser exercitada no dia a dia independente da idade e do lugar onde ela mora.
Para finalizar a aula o professor passou alguns vídeos sobre acidentes fatais nas estradas brasileiras e diante de imagens fortíssimas a gente percebe que o respeito ao próximo e a si mesmo é o que tem faltado na humanidade, não é mesmo deputado?
Esses casos me revoltam!!!!

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Todos contra o abuso

Durante o dia de hoje uma série de eventos acontecerão em todo o país para alertar sobre o abuso sexual contra crianças e adolescentes. Palestras, distribuição de informativos e até mesmo mandato de busca e apreensão de acusados de pedofilia. Os eventos marcam o Dia de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.
O dia 18 de maio ganhou esse grito em 2000 pela Lei Federal N°. 9970/00. Esta data foi escolhida, pois neste mesmo dia, em 1973, Araceli Cabrera Sanches, uma menina de oito anos foi seqüestrada, drogada, espancada, estuprada e assassinada por filhos da alta sociedade de Vitória (ES). Até hoje, os culpados pelo crime não foram punidos.
Nunca ouvimos falar em tantos casos de abuso como nos dias de hoje, a abertura da CPI da Pedofilia foi um marco na luta contra essa barbaridade. Costumo dizer que essa CPI foi uma das mais eficazes dos últimos anos, tanto pelas investigações como pelo número de acusados que estão recebendo a punição merecida.
Vamos lá, todos contra o abuso de jovens!!!

Visite e denuncie:
Todos Contra a Pedofilia
Parece que a passeata dos Sem Namorados foi um sucesso. Confira matéria do Bom Dia São Paulo.



OBS.: Eu não participei!!!

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Papo de mulher

Reunir duas ou mais mulheres solteiras no mesmo ambiente é pedir para falar sobre homens. Ok, falamos sobre roupas, sapatos e maquiagens também. Outras vezes até sobre a crise financeira ou sobre o stress do trabalho, mas entre um assunto e outro o tema “relacionamento” sempre aparece.
Ontem não foi diferente, meninas bonitas e solteiras reclamando da “falta” de um bom partido, alguém que valha a pena, que conquiste e queria ser conquistado. Trocar desilusões e mostrar o que aprendeu com cada uma. Um programa comum e muito divertido.
Hoje me deparo com uma matéria sobre uma passeata de solteiros que querem conhecer pessoas interessantes e quem sabe já sair de lá de mãos dadas com alguém. Isso é consolador, saber que tem muita gente esperando “o cara”, porque apesar de falarmos muito mal dos homens sabemos que eles são “um mal necessário”.
Para promover o encontro de pessoas solteiras no próximo domingo, dia 17, o Parque do Ibirapuera receberá a Passeata dos Sem-namorados. Os solteiros da cidade irão se concentrar na marquise do Parque, às 15h, e a passeata pelo parque deve se estender até as 17h.
Eu não vou participar dessa edição, mas achei bastante interessante a matéria do G1. O que não pode morrer é a esperança, né?... Então boa sorte pra quem for! Eu vou esperar mais um pouquinho.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Não jogue lixo no Rio

Finalmente a matéria sobre o trecho do extremo leste do Rio Tietê saiu no jornal. Um dos moradores filmou a área e me trouxe para que eu tivesse uma noção do caos do lugar. Há uma vegetação nas águas do rio que tem impedido que a água escoe o que pode gerar enchentes. Outro problema grave é a quantidade de lixo, na verdade todo o trecho do rio que passa pela cidade de São Paulo é um problema, problema que deve ser tratado pelo governo, mas que não foi causado por ele. Os moradores reclamam do odor do local, mas o lixo jogado e o esgoto lançado nas águas não são da casa do governador José Serra, o ódio que eles lançam sobre a prefeitura e governo não tem lógica uma vez que o lixo é jogado no rio pelos próprios moradores. Em um dos vídeos, sem querer, ele filmou umas crianças jogando vários pedaços de madeira no córrego. Perguntei que eram aquelas crianças e ele me respondeu que eram moradores do local, a casa estava na beira do córrego, seria com certeza uma das primeiras vítimas em caso de enchente. Eu fiquei incomodada com isso, eu estava toda preocupada em dar voz para aqueles moradores para que o problema deles seja resolvido enquanto que eles não se conscientizam que boa parte dessa sujeira toda do Rio partiu da casa deles. Não quero acusá-los, mas quero dizer que medidas simples como NÃO JOGAR LIXO NO RIO já resolveriam o problema principal. Isso precisa ser passado de morar para morador, de pai para filho. Não acho que estou pedindo muito. O sr Roberto até ficou constrangido, mas alguém precisava dizer que se o rio está daquele jeito é culpa nossa! Conversei com o diretor de engenharia do DAEE (Departamento de Águas e Energias Elétricas ) que me explicou que essa vegetação nasce porque a quantidade de lixo torna a água fértil. Veja a foto, parece que é um rio? Pelo que o engenheiro afirmou também há um projeto da Sabesp para que o esgoto seja desviado e não caia mais dentro do Tietê. Para as obras de limpeza desse trecho do rio o órgão responsável espera a aprovação de uma verba extra de R$ 100 milhões, ou seja, isso não vai acontecer nem tão cedo. O que é uma pena.



Garrafas entompem trecho do Rio
Esgoto das casas caem diretamente no córrego e moradores ainda jogam lixo

As águas foram encobertas por essa vegetação, a quantidade de lixo tornou o rio fértil



terça-feira, 5 de maio de 2009

Profissão Blogueira

Eu ainda não ganho por escrever em blogs, mesmo assim mantenho três sobre temas diferentes. Acho tão engraçado quando vejo noticias cuja informação principal foi tirada de um blog. Isso acontecesse principalmente quando o assunto se refere a uma personalidade (artista, políticos, etc).
O mais curioso ainda é quando nos jornais e revista a fonte é citada apenas como blogueira. Vários blogs viraram livros nos últimos anos, um dos mais famosos foi o da ex-garota de programa a Bruna Surfistinha que transformou seu diário virtual em um best seller.
Eu navego bastante nesse mundo desde de 2003 quando lancei o meu primeiro diário virtual e posso afirmar que essa “brincadeira” de dizer o que pensamos e sentimos tem revelado ótimas histórias e muitos talentos, pessoas que em outros tempos não teriam como divulgar seu trabalhado como articulista, poeta ou contador de histórias.
É muito bacana ver as pessoas se identificando com aquilo que você escreve, esse feed back que a internet proporciona é um estimulo para que novos autores continuem escrevendo.
O melhor de tudo é quando o seu trabalho é tão reconhecido que você recebe convites para ser colunista em outros blogs... e assim vai... Aos poucos você será um blogueiro por profissão. Não sei se dá dinheiro, mas é muito gostoso escrever e por isso estou aceitando as propostas que surgiram. Em breve passo os links.

terça-feira, 28 de abril de 2009

E agora jornalista?

Na sexta-feira passada um senhor que é presidente de uma associação de bairro veio até o jornal fazer uma denúncia contra a subprefeitura e o governo do estado alegando o descaso com dois bairros muito pobres que estão à margem do rio Tietê.
Pois bem, a parte do rio que passa nesses bairros está cheia de algas que impedem a passagem da água e também do lixo, que fica acumulado causando transtorno para os moradores da região.
Qualquer jornal se interessaria em pegar no pé das autoridades e resolver esse problema antes que venha uma chuva forte e inunde as casas ao redor, cerca de mil famílias. Mas aqui no JP, apesar de eu me incomodar muito com a situação, não há espaço para isso.
Eu estou com essa pauta na mão e não posso me aprofundar nela. Sempre achei que nosso papel é dar voz a essas pessoas, mas quando o dono do jornal conversou com o sr Roberto disse apenas isso: separa um pedaço pra fala dele. Sem fotos, sem maiores detalhes para isso.
Liguei para o "editor chefe" e a resposta dele foi: "Liga para subprefeitura, mas não compra essa briga não. O Jornal é do Povo, pero no mucho". Que decepção!
Bom, estou ao lado do telefone fazendo o que eu acho que é certo: cobrar posicionamentos e soluções. Mas sei que a matéria não causará impacto como eles esperam.
Mas fiquei super triste e não sei o que mais posso fazer. Repasso para algum outro jornal? Converso com o morador e digo que não podemos fazer nada? E agora?

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Eu sou a favor do vestibular

Essa semana cerca de 1,5 mil jovens fizeram protesto aqui em São Paulo pedindo o fim do vestibular e que ele seja substituido pelo Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) feito no final de cada um dos três anos letivos.
No ínicio do mês o ministro da educação fez a proposta de um novo Enem, no lugar de ser composto por 63 questões mais redação o exame novo substituiria o vestibular das universidades federais e teria 200 questões. Isso mesmo, 200. A prova, portanto, seria realizada em dois dias diferentes e já seria eliminatória.

Não concordo com nenhuma das duas propostas apresentadas, mesmo sem querer prestar um novo vestibular eu me atrevo a opiniar nesse assunto porque a proposta do ministro só aumentaria a exclusão dos alunos do ensino público nas universidades federais. Isso porque o ensino oferecido nessas escolas é de péssima qualidade aumentar o nível da prova só vai dificultar a entrada desses alunos nas faculdades.

Sem contar que isso também prejudicaria o acesso daqueles que pela nota do Enem desejam ganhar bolsa nas universidades particulares através do ProUni.

Ao meu ver o vestibular garante a qualidade das faculdades, todos sabemos que faculdade com vestibular dificil é faculdade boa e a medida mais eficaz para aumentar o número de alunos no ensino superior é melhorar a qualidade das aulas, não tem outra alternativa.

Na fotografia estudantes filiados a UNE e Ubes em protesto na Secretaria Estadual de Educação para propor o fim do vestibular.

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Oba, feriado!!!

Algumas pessoas não gostam deles, acham que os brasileiros são folgados de mais, acho que a palavra preguiçosos se encaixa melhor... tudo por causa da quantidade de feriados que temos, mas para quem trabalha muito como eu um feriado de vez em quando cai bem.

Apesar de ter trabalhado o dobro para terminar em 3 dias o que faço em 4 dias e meio eu estou super contente por poder descansar amanhã. Minha vontade era viajar pra bem longe, curtir uma praia, ler um bom livro, ouvir menos barulho e respirar um ar mais puro, mas infelizmente ficarei aqui em São Paulo, a terra do caos que eu tanto amo.

Mas dia 21 temos outro feriado, depois só dia 1º de maio e 11 de junho esse último do semestre cai em uma quinta, quisera eu poder emendar a semana toda. Mas não é preguiça não, viu... é falta de férias... infelizmente "não" tenho esse direito aqui...





Olinda (PE) seria um ótimo destino para descansar no feriado... você tem alguma outra sugestão?

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Um advogado para chamar de meu

Finalmente consegui um advogado para chamar de meu. Não, não estou namorando nenhum profissional de direito, só estou contente por ter encontrado um profissional capacitado para atender minhas reclamações contra uma empresa onde trabalhei.
Confesso que minha total ignorância quanto a essa área me fez perder um tempão e quem sabe até os direitos que teria em outra ação que movi e não sei se a advogada contratada realmente abriu o pedido de indenização por danos morais e materiais contra o "abençoado" que me atropelou em 2005.
Sempre achei o direito uma ciência chata, uma área que não combina em nada comigo, talvez seja por arrogância, dizem até que rola um atrito entre advogados e jornalistas. Um dos professores da faculdade dizia sempre: "Advogado pensa que é Deus, jornalista tem certeza".
Fora essa brincadeira, eu confesso que para minha profissão entender de direito é muito importante, tanto que tinhamos aula de ética e legislação que englobava o código civil e as leis de imprensa. Apesar de ter boas notas e não aprendi muita coisa sobre isso não...
Sei que tem muitos jornalistas que também são formados em direito, inclusive a esposa do meu novo advogado é jornalista, ama a profissão, mas achou mais lucrativo ser advogada. Bom, diante desse mercado restritíssimo até eu me pego pensando em ter uma segunda profissão.
Depois dessa perda de tempo que tive com a outra advogada eu vou começar a ficar mais atenta quanto aos meus direitos, acredito que seria muito bom se tivessemos pelo menos uma noção dos nossos direitos como cidadãos, consumidores, funcionários e etc... Seria bom para sabermos o que exigir e de quem exigir.
Infelizmente eu não pensei nisso a tempo, mas agora com o novo advogado pelo menos essa causa eu posso ganhar e ser ressarcida pelo tanto de prejuizo que tive. Eu fiquei embasbacada diante de tantas coisas que tinha de errado naquela empresa e que nunca eu saberia.
Bom, agora eu sei e tenho que agradecer aqui a minha amiga Meyre, que sempre desconfiou da outra advogada e que me apresentou o seu advogado que agora também é meu. Valeu Meyre!

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Qual o sexo do seu cérebro?

No site da Revista Época uma pesquisa revela que o cérebro humano apresenta características que diferenciam o masculino do feminino. A pesquisa prova que não é só os genitais que definem o sexo de uma pessoa.
Segundo os pesquisadores, durante o desenvolvimento dos seres humanos, como o homem era o caçador, desenvolveu um cérebro com habilidades manuais, visuais e coordenação para construir ferramentas. Por isso, um cérebro masculino tem mais habilidades funcionais.
Já as mulheres preparavam os alimentos e cuidavam dos mais novos. Elas tinham que entender os bebês, ler sua linguagem corporal e ajudá-los a sobreviver.
Faça o teste pelo link e descubra o sexo do seu cérebro. Meu resultado não mostrou nada além do que eu já sabia. Sou feminina, quase muito feminina.

quinta-feira, 26 de março de 2009

He’s not the daddy




É inacreditável que adolescentes tão novos sejam tão promíscuos, realmente as relações humanas estão cada vez mais instáveis. A noticia dada hoje pelos jornais mostra que uma garota britânica de 15 anos teve vários parceiros e que o garoto de 13 anos não é o pai do bebê como foi divulgado no mês de fevereiro.
Alfie Patten foi vítima da famosa frase “você foi o primeiro e único homem da minha vida” quando na verdade a garota já tinha (desculpa pelo termo) ‘rodado a banca’. Não acho essa situação engraçada assim como também não achei legal a noticia de que ele tão novo fosse pai.
Bom, pai realmente ele não é, mas agora tem uma marca pra levar pelo resto da vida. A marca da vergonha de ser traído e humilhado diante do mundo inteiro. E pior ainda a menina, que agora tem sua vida íntima divulgada, condenada e contestada por todos. Esse mundo está perdido!

segunda-feira, 23 de março de 2009

Motivação

Acredito que essa é a palavra mais usada no meio corporativo nos últimos tempos, onde inúmeros profissionais investiram em motivação para melhorar a qualidade dos serviços gerados por suas equipes.
Quando trabalhava em telemarketing um dos supervisores sempre fazia atividades com a equipe tentando "motivar" os funcionários que trabalhavam no pior setor da empresa: retenção. Não deixar o cliente cancelar a linha oferencendo vantagens de um serviço que ele não acredita mais.
Precisavamos mesmo de muita motivação, mas o que alguns consultores tem ensinado não tem relação nenhuma com aquilo que os funcionários realmente precisam. Pelo menos naquela empresa a motivação era reuniões idiotas com mensagens de mantras e pensamento positivo. Quando essas "sessões" acabavam lá estavamos nós outra vez com o head set na cabeça ouvindo palavrões.
O pior acontecia no dia cinco, quando os salários caiam nas contas... a maioria da equipe recebia o valor errado. Tenho certeza que a semana do dia cinco é a semana onde mais se cancelam linhas. Pelo menos era assim há quase dois anos atrás.
Demorei para atualizar essa página esse mês exatamente por estar desmotivada. Não com o blog, mas com o meu trabalho. Resolvi fazer uma lista rápida sobre o que desmotiva um profissional:
- Falta de reconhecimento
- Salários mal pagos ou atrasados
- Atividades extras não remuneradas
- Ambiente "pesado" (confusão)
- Falta de oportunidades de crescimento profissional
- Ausência de diálogos para melhorar o produto oferecido (no meu caso o JP)
- Deixar de acreditar na empresa
- Superior arrogante

Acredito que a primeira reclamação dos funcionários é quando não nos dãos os créditos merecidos. E isso não significa só dar tapinhas nas costas e dizer: " parabéns, você fez um belo trabalho", pelo contrário, é elogiar, mas saber dar mais que elogios, é saber te colocar na posição que você se esforça para alcançar. É pelo menos lembrar que somos humanos e temos vida além do trabalho. Que ficamos doentes, que temos problemas pessoais e etc.
O Wikipédia tem uma definição perfeita para motivação:
Motivação é um processo mental positivo que estimula a iniciativa e determina o nível de entusiamo e esforço que a pessoa aplica no desenvolvimento de suas atividades. O processo motivacional é responsável pela intensidade, direção e persistência desses esforços.

O nível de motivação é influenciado por diversos fatores como a personalidade da pessoa, suas percepções do meio ambiente, interações humanas e emoções.

Eu queria poder colocar esse pequeno relato no jornal dessa semana... quem sabe assim alguém aqui acorda, né?!!

A Hora do Planeta

Dia 28 de março
Às 20h30
Apague as luzes de sua casa e participe da campanha mundial "A Hora do Planeta" que tem como objetivo nos fazer refletir sobre as mudanças climáticas do Planeta.


Hora do Planeta 2009.

Eu sei que o ato de apagar as luzes não vai solucionar os problemas que temos, mas toda a forma de conscientização é valida.

segunda-feira, 2 de março de 2009

Crianças infelizes x populares


Duas pesquisas divulgadas pela BBC Brasil me chamaram a atenção. A primeira diz que crianças infelizes se tornam adultos doentes. Segundo os cientistas do King's College de Londres, as crianças descritas por seus professores como "infelizes" ou "angustiadas" tinham chances cinco vezes maiores de não poder trabalhar devido a problemas de saúde quando chegassem à meia-idade. A conclusão do estudo diz que "crianças que são infelizes e desinteressadas na escola geralmente vêm de residências onde os pais são desinteressados e onde há muita privação". De acordo com os pesquisadores "isso leva estas crianças a não ir bem na escola, não ir bem na vida profissional e cair neste ciclo."
Eu tenho boas lembranças da escola, principalmente dos primeiros anos e posso dizer que não só observava crianças infelizes como fui e sou amiga da maioria delas. Reconheço que muitos deles têm dificuldades de permanecer no emprego, não só por motivo de doença.
A outra pesquisa revela o contrário: realizado na Grã-Bretanha um estudo indica que adolescentes populares na escola tendem a ganhar mais quando adultos.
Acho que esses são os grupos mais lembrados da vida escolar os populares x os deprimidos. A maioria desses meus amigos gostam de ficar quietos em algum canto onde não tivesse muito barulho e em alguns casos onde não chegasse a luz do Sol.
Enquanto isso os chamados “populares” se sentavam no meio da quadra e organizam brincadeiras divertidas, riam e bagunçavam muito. Mas desses eu quase não tenho notícias.
Um dos pesquisadores da segunda pesquisa enfatiza a importância do desenvolvimento das habilidades sociais ainda na infância como base para o sucesso financeiro na vida adulta.
Ainda segundo esse estudo, eles identificaram dois grupos: os populares e os sociáveis. Eu ainda faço parte do segundo. Mas para minha tristeza a sociabilidade não tem impacto na carreira, já a popularidade sim.


Pai rico, pai pobre
Não tem como falar nos populares sem lembrar desses seriados americanos onde os mais descolados da escola são geralmente ricos, as loirinhas magrinhas que sempre namoram os zagueiros do time e ainda são as líderes de torcida. Mandam nas amigas, arrumam encrenca, mas tiram notas boas e vão para a faculdade.
Não sei se a vida imita a arte, mas acredito que essas pesquisas confirmam o fator social da infância que reflete sim na vida adulta.
É claro que esses meus amigos tristes eram menos afortunados. E ainda são. Fora esse fator, boa parte deles sofreram com problemas familiares de violência, separação. Alguns começaram a trabalhar muito cedo. Uma inclusive começou a trabalhar de doméstica aos nove anos de idade. Hoje trabalha em uma escola de ensino infantil, mas a vida dela não foi fácil.
Não quero culpar a desigualdade, mas o ambiente familiar, concordo com os pesquisadores que a família influencia o comportamento dos filhos e o pior é que isso trará consequências para toda a vida.

Cenas do seriado "As Patricinhas de Berverly Hills"

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Crise na comunicação

Algumas empresas jornalísticas estão em débito com seus funcionários, entre elas a Rede TV e a Editora Símbolo. Os funcionários da Símbolo que edita entre outras revistas a “Chiques e Famosos” entraram em greve na semana passada e agora a empresa tenta fazer acordo para pagar os salários atrasados juntamente com o sindicato.
A empresa alega que a precária situação é decorrência de sua reestruturação. Outra justificativa apresentada foi a falta de publicidade, uma vez que devido a crise financeira as empresas cortam de primeira a verba com propagandas.
Aqui no JP não está sendo diferente, tanto que amanhã o jornal nem vai rodar, o que é uma pena, mas as publicações são sustentadas pelos anúncios. Acredito que assim que o mercado financeiro se acalmar as empresas voltarão a anunciar, o que será muito bom.
Mas mesmo com esse temor todo eu vejo muita publicação nova, esses dias vi na banca uma revista feminina sobre finanças chamada “Elas e Lucros”, é uma revista nova no mercado. Também tomei conhecimento de uma publicação voltada para prefeitos e vices.
Diante disso percebemos que o mercado está ruim, mas nem tanto e que realmente a segmentação das publicações é o futuro do jornalismo e do trabalho dos jornalistas.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Pai aos 13 anos

Eu achava que notícias sobre gravidez na adolescência não assustava mais e nem mexia com a opinião pública, até que o hoje o The Sun publicou uma matéria do nascimento de um bebê fruto de um namoro que eu julgo como precoce.

O menino Alfie Patten que tem 13 anos e sua namorada Chatelle Steadman, 15 anos, tiveram uma filha. Com isso ele se tornou um dos pais mais jovens do Reino Unido. E as famílias agora terão de cuidar de três crianças.

Me sinto até idiota mais preciso dizer: Quem ensinou sexo para esse garoto?

Eu sei que sou moralista e até me sinto careta, mas acho que ser muito permissivo faz mal para a criação das crianças. Tentar ser 'moderninho' liberando relacionamentos de pessoas tão novas só faz mal e não é um mal financeiro, mas emocional. O próprio pai de Alfie tem consciência que seu filho não entende a responsabilidade de conceber um filho. Por que não o orientaram a respeito?

Olhem bem para o rostinho dele, gente. Tem cara de quem sabe o que fez?




sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Tudo de Tom



Eu estava fazendo um resumão da passagem da família Cruise pelo Brasil para a página de Fofocas do jornal e fiquei admirada pela simplicidade e simpatia do galã de Hollywood.
Hospedados no hotel Copacabana Palace de 30 de janeiro a 3 de fevereiro eles já chegaram acenando para os fãs de dentro do hotel, não fizeram grandes exigências, dispensaram a mesa reservada em um restaurante japonês no Leblon, atrasou em uma hora a pré-estreia do filme “Operação Valquiria” para atender as fãs que se aglomeraram em frente ao Cine Odelon, subiu no banco para que todos o vissem e ainda elogiou o Brasil...
Tom Cruise mostrou que é lindo por dentro e por fora. Dá gosto ser fã de pessoas assim, humildes. E puxo o assunto para dizer que faltam homens assim, na verdade não só homens. As pessoas tem se preocupado com muitas virtudes, menos a humildade.
Canso de ver celebridade, empresários, artistas e até “sem teto” arrogantes. Podemos dizer que Tom Cruise, Katie Holmes e Suri têm tudo o que uma pessoa pode desejar nessa vida, mas trataram o povo brasileiro com carinho e respeito. É difícil encontrar essas atitudes no dia-a-dia.
Muitos vão atrás de uma aparência, acham que se for uma pessoa bonita ou estiver ao lado de uma, isso basta. Mas não... a sociedade tem perdido seus valores morais exatamente por essa inversão de conceitos.
Não quero dar lição de moral, pois sei que preciso melhorar também em muitos aspectos, mas não poderia deixar essa oportunidade passar.
Tom Cruise é tudo de bom!!!!!

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Miss simpatia

Ontem pela manhã acompanhei pela UOL a entrevista coletiva sobre os novos investimentos do PAC (Plano de Aceleração do Crescimento) que investirá bilhões de reais em rodovias, ferrovias, habitação e etc.
No comando estava a ministra da Casa Civil Dilma Rousseff, de cara nova, mas com a personalidade antiga. Essa foi a primeira entrevista dela que eu acompanhei, deve ser por isso que estranhei o jeito rude que ela tratou a equipe que a auxiliava na transição dos slades.
Quando abriram as perguntas aos jornalistas a coisa piorou. Um amigo do jornal Valor Econômico, se não me engano, perguntou sobre como o governo pretende aumentar esses investimentos sendo que o mercado financeiro está em crise e essa atingirá o país principalmente nas indústrias. Dilma com sua voz de trovão falava com o colega como se ele tivesse a obrigação de saber o passo a passo que o governo PENSA em dar para burlar a crise.
E repetitivamente ele pergunta: Não é? Não foi isso? Não é isso? Estou certa?
Quando penso que ela chegou no maior grau que a “simpatia” de uma pessoa pode chegar entra uma jornalista da Itália perguntando sobre a relação diplomática entre Brasil e Itália por causa do “refugiado político” que se esconde no nosso país. Dilma não se compadece na profissional que veio de tão longe e diz que não vai responder.
Entra mais uma jornalista, acho que era da Isto É, e pergunta se o governo está prevendo essas metas do PAC para depois de 2010 como a ministra estava explicando então o governo iria querer alguém que substitua Lula e faça com que essas obras tenham continuidade.
A pergunta foi: a senhora quer ser essa pessoa para dar continuidade? Desconcertada a ministra fala que o governo do PT tem sim o interesse em colocar alguém para continuar as obras do PAC. A jornalista volta a perguntar: a senhora quer ser essa pessoa? Dilma diz, finalmente sorrindo – Essa resposta você não tira de mim nem amarrada!
Ao que tudo indica ela é a representante do PT que disputará as eleições presidenciais em 2010. Segundo levantamento da CNT/Sensus divulgado na terça-feira a petista aparece com 13,5% das intenções voto contra 42,8% do governador de São Paulo, José Serra (PSDB).

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Beleza x Inteligência

Se para as mulheres a inteligência do rapaz conta na hora da escolha, segundo pesquisa realizada, quando a escolha é deles nós, mulheres, sabemos que a inteligência nem sempre é importante. E isso não é só teoria de quem acabou de ser trocada por uma mulher “melão”.
Pode até parecer preconceituoso, mas muitas vezes levantei a bandeira de que só existem dois tipos de mulheres: as bonitas e as inteligentes.
É obvio que os homens se deixam levar pela aparência, não precisei fazer MBA para chegar a essa conclusão, por mais que a beleza seja algo difícil de definir, como diz minha mãe, uns gostam dos olhos e outros das remelas.
Na revista Criativa do mês de janeiro, a jornalista Marília Gabriela falou sobre a inteligência feminina em um trecho da entrevista. Ela acredita que as mulheres que não escondem a inteligência assustam os homens.
“Sou uma pessoa que não costuma esconder o que pensa... Acho que os homens se assustam com mulheres evidentemente donas de seu nariz”, disse a ex de Reynaldo Gianecchini.
Não satisfeita só com os meus achismos e pré-conceitos, resolvi perguntar para alguns amigos que estavam online qual seria a escolha deles entre uma mulher inteligente e uma bonita. Tive as respostas mais engraçadas possíveis.
Temos a velha e estereotipada idéia de que as mulheres inteligentes são as Bettys feias da vida, e essas são, geralmente as últimas que se casam do grupo, são as que mais levam fora na escola, as que mais são zombadas, apesar de conseguir no futuro ótimos empregos.
Um amigo respondeu: “o que adianta namorar uma menina que trabalha na Nasa, e se parece com o foguete que será lançado”, apesar de cômica a resposta diz tudo o que os outros disseram com outras palavras.
Outra idéia já formalizada na cabeça de muitos é que mulher bonita é vulgar, não serve para nada além de sexo. “A principio a mulher bonita chama mais atenção, mas com o passar do tempo pode desgastar... então a inteligente dura mais”, disse outro. O que será que ele quer dizer com ‘dura mais’?
Para muitos a beleza é algo que não se põem à mesa e para essa ideologia consegui a melhor resposta de todos os tempos que conclui o desejo mais que perfeito dos homens: “acredito que beleza não faz a mesa, mais também ninguém gosta de comer no chão, ou seja ,o mais interessante é que se consiga unir as duas coisas”.
Sim, para eles o ideal é encontrar a mulher perfeita que seja bonita e inteligente. Um outro foi mais sincero dizendo o que realmente prefere .“Eu mesmo prefiro uma mulher não muito inteligente e também não muito burra”.
Minha prima, uma das poucas mulheres entrevistadas que não lembrou da Moranguinho, Melão, Melancia e Filé que já cruzou seu caminho lembrou de uma música do Charlie Brown Jr que encerra esse tema (por enquanto).
"As flores são bonitas em qualquer lugar do mundo, muita gente tem forma mas não
tem conteúdo"




Atriz America Ferreira - Ugly Betty

Ela nem é tão feia assim...

Selo

Começo a semana comemorando neste blog:

1º Mais de 3000 acessos ^^

2º Um selo



Obrigada a todos

Lidi, obrigada por mais essa indicação.





REGRAS:

* Exiba a imagem do selo “Olha Que Blog Maneiro”;

*Poste o link do blog que te indicou;

*Indique 10 blogs de sua preferência;

*Avise seus indicados;

*Publique as regras;

*Confira se os blogs indicados repassaram o selo e as regras;

*Envie sua foto ou de um(a) amigo(a) para olhaquemaneiro@gmail.com juntamente com os 10 links dos blogs indicados para verificação. (Caso os blogs tenham repassado o selo e as regras corretamente, dentro de alguns dias você receberá 1 caricatura em P&B. Só vale se todas as regras acima forem seguidas).

Meus indicados são:

http://asesforcadas.blogspot.com/

http://garotasdesegunda.blogspot.com/

http://teca-tecla.blogspot.com/

http://redatorasdemerda.blogspot.com/

http://mulhertrinta.blogspot.com/

http://teacherclau.blogspot.com/

http://tluk.wordpress.com/

http://soulmenina.wordpress.com/

http://undervini.blogspot.com/

http://mulhercuequinha.blogspot.com/

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Eu troquei o rock pelo jornalismo


Ao contrário de muitas pessoas eu decidi minha carreira muito cedo. Estava na quinta série e já sabia que seria jornalista, graças a um trabalho que a professora de português passou para todas as quintas. Fizemos um ‘telejornal’ com notícias da escola e eu simplesmente amei coletar informações, pesquisar, juntar e mostrar para todo mundo. Lembro com orgulho que nosso grupo foi o melhor da escola.
Confesso que cheguei a pensar em cursar farmácia, queria trabalhar fazendo perfumes, misturava vários até descobri uma fragrância nova, outra opção seria criar cosméticos, para quem tem cabelo crespo como o meu o grande sonho era inventar uma fórmula poderosa para pelo menos acabar com o volume das madeixas.
Anos mais tarde comecei a trabalhar com crianças na igreja e então minha terceira opção era pedagogia, mas hoje percebo que faria uma péssima escolha porque não tenho mais paciência com crianças (mais de uma já saio gritando).
Fora isso, sempre fui muita ligada a música, tinha um grande sonho de montar uma banda de rock formada só por mulheres, já formei uns quatro grupos com minhas irmãs e amigas, nenhum deles saiu do papel. Eu babo em bandas pesadas com vocal feminino. Sonhava em sair pelo mundo levando mensagens positivas de paz e esperança.
Cheguei a fazer 6 meses de aula de violão, ganhei uma guitarra de presente de aniversário quando completei 16 anos, mas com o tempo perdi esse sonho de banda, minhas prioridades foram mudando.
Dois anos depois entrei para a faculdade de jornalismo e a primeira coisa que fiz foi vender minha guitarra. Tenho saudades dela, de quebrar as cordas todas as vezes que eu tentava afinar, era péssima nisso... Sempre chamava um vizinho para me ajudar.
Esses dias encontrei com ele voltando para a casa agora ele é músico profissional , toca em bares e ensina música no CEU como contratado da prefeitura. Fiquei lembrando desse sonho bom em viver de música, mas acho que fiz a escolha certa.
Ele se lembrou de que sempre disse que seria jornalista e não se assustou com a minha decisão de trocar a guitarra pelo BLOCO DE NOTAS.
Às vezes olho pro violão empoeirado em cima do guarda-roupas e vem na mente a lembrança daqueles tempos de aula e treinos. Sinto vontade de sentar e dedilhar alguma coisa, mas logo desisto, só consigo lembrar dos acordes maiores, menores e com sétima. Sinceramente hoje eu prefiro sentar no computador e escrever alguma coisa.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Jornalismo: Ministério da Verdade

É incrível como as obras de George Orwell estão cada vez mais atuais, parece até profecias. Eu abri esse blog com uma "interpretação" do livro "A Revolução do Bichos" e hoje quero falar sobre o "Ministério da Verdade" descrito no livro 1984.
Os meus colegas de profissão têm me decepcionado bastante, chego a sentir vergonha de ser jornalista devido ao tamanho das mentiras que são colocadas nos noticiários todos os dias. O pior que são mentiras contadas com tanta convicção que elas se tornam verdades.
A gente aprende na faculdade que o jornalismo é feito com apuração de fatos. Chegamos nas salas de aula acreditando que poderemos mudar o mundo publicando aquilo que realmente aconteceu doa a quem doer.
Quando cheguei no JP eu me deparei com uma realidade completamente diferente, e olha que somos um jornal pequeno sem grandes fins políticos e posso até dizer que não somos tendenciosos. Mas não posso isentar nossa culpa na reeleição de políticos que não prestam. Sim, porque graças a 'generosidade' deles com o dono do jornal a verdade da má administração e da corrupção foram BARRADAS na redação.
Nós jornalistas sabemos como maquiar um fato. Se nos interessa que ele seja bonito, faremos ele ser, esconderemos as marcas, pó compacto, corretivo, blush, gloss e etc... Somos verdadeiros maquiadores, por outro lado se é interessante que ele seja feio, faremos aquelas maquiagens dignas da turma do Playcenter que prepara os monstros pra noite do horror.
Somos maus e gananciosos, na verdade não os profissionais, mas os donos das empresas jornalísticas e isso mancha nossa imagem diante da população. Em breve ninguém mais vai acreditar nos jornalistas.
O livro 1984 narra a história de um governo autoritário que entre outros ministérios sustenta o Ministério da Verdade responsável, ironicamente, pela falsificação de documentos e qualquer artigo que possa servir de referência ao passado de forma que ele sempre condiga com o que o Partido diz ser verdade atualmente. Por essa lógica, o Partido é infalível, pois nunca erra.
E a ironia está exatamente no fato do Ministério da Verdade, onde Winston (o protagonista do livro) trabalha, ser responsável pelas mentiras. (Wikipedia)
Parece que Orwell recebeu uma revelação divina sobre o jornalismo do século XXI, é exatamente o que fazemos hoje, somos responsáveis por várias mentiras, conceitos gerados pelos nossos preconceitos, pela nossa descrença, pela nossa arrogância, ganância e ignorância.
Muitos falam sobre o DIREITO À INFORMAÇÃO, acredito nele sim, mas acredito no direito à informação correta, sem maquiagem, mostrando os lados da história. Mas infelizmente isso está mais para uma utopia de quem acabou de sair da faculdade do que no dia-a-dia das redações.

A I

Iniciei um curso de assessoria de imprensa pelo Sindicato dos Jornalistas, a primeira aula foi sábado, dia 17, e já aprendi muitas coisas.
Na faculdade eu tive essa matérias, mas não era ministrada corretamente. Não sei se pelo fato de não gostar da matéria ou se era pelo professor que não entendia nada sobre Assessoria, aconteceu que pouco aprendi sobre a área.
Fui pegar noção do trabalho mesmo quando fui trabalhar na AW em novembro de 2007. Foi algo surpreendente. Com certeza o melhor trabalho que já tive e assim peguei gosto pela assessoria.
Resolvi fazer esse curso para aprimorar meus conhecimentos e também aumentar meu network. Conversando com os alunos da turma percebi que tem muita coisa realmente que preciso saber sobre AI, mas sobretudo notei que trabalhar com assessoria de eventos é muito mais tranquilo do que trabalhar com órgão públicos como alguns colegas trabalham.
Na área de eventos não tem crise. Você não precisa maquiar informações (essa história de maquear fatos me deixa decepcionada com o jornalismo, escrevo sobre isso em outro postagem), nem assumir o papel de "advogado do diabo".
O mercado de AI é o que mais emprega jornalistas no últimos anos, sem contar que é a área que paga melhor. É muito mais fácil montar uma assessoria do que um jornal ou revista.
A noção que o professor Gilberto Lorenzon nos dá é de como deve funcionar uma assessoria, o que é necessário fazer durante o dia, as tarefas que devemos realizar, como agir com a imprensa e etc. Exatamente a noção que queria ter para desenvolver um trabalho melhor.
Apesar de toda a polêmica (cansativa, diga-se de passagem) que há entre AI e jornalistas de redações eu acredito que a AI é um mercado muito melhor e menos sujo de se trabalhar. Digamos que é ideal para jornalistas bonzinhos. Se é que eles existem.

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

O céu desabou


A igreja Renascer em Cristo localizado na zona sul da capital tinha o céu como decoração. Paredes azuis com nuvens e uma linda pomba no meio do teto.
Um clima aconchegante deixava os visitantes alucinados com aquela beleza.
A primeira vez que pisei naquele lugar fiquei por vários minutos olhando pra cima. Era realmente lindo.
Por vários momentos da minha vida, bons e ruins, principalmente os ruins, eu fugia para lá para buscar socorro. Como se fosse uma mágica, era pisar ali para ter certeza de que tudo ficaria bem.
Era como se a impetuosidade que aquela pomba representava me desse segurança de que quando saísse dali tudo estaria resolvido, o medo até ia embora. Não precisa de mais de duas músicas cantadas ali dentro pelo grupo MARAVILHOSO que a denominação sempre teve orgulho de ter para eu me sentir outra pessoa.
Não tenho palavras para descrever tudo que aprendi ali dentro. E exatamente por isso eu freqüentava aquele lugar periodicamente.
E domingo não foi diferente, fomos até lá com vários amigos. Era culto para jovens, mais de 3 mil abarrotados naquele espaço dançando e cantando. Saímos de lá por volta das 17h10, jamais pensaríamos que dentro de 1h40 após aquele templo estaria em ruínas.
Lamentavelmente NOSSA CASA foi acometida por um desastre ainda sem causa avaliada e dez IRMÃOS morreram e dezenas ficaram feridos. A tragédia poderia ser maior e eu poderia ter sido uma das vítimas. Escapei de mais uma, mas a tristeza que sinto (compartilhada por milhares de pessoas que entendem o que esse estrago vai gerou e ainda vai gerar) é muito grande e inexplicável.
Jamais pensamos em passar por isso, mas dentro daquilo que cremos temos a certeza de que Deus sabe o que faz e ELE sabe que a igreja Renascer está preparada para mais essa batalha.
Vamos em frente!!!!!

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Os Geeks têm futuro

Não é só na moda que os geeks estão fazendo sucesso. Os “nerds” estão ganhando espaço no mundo e alcançando, cada vez mais, o coração das moças que querem além de um cara elegante, que ele seja também inteligente.
O site da revista época publicou uma matéria sobre saúde que diz que o gene que leva inteligência ao homem também pode ser responsável pela sua boa capacidade reprodutora.
A reportagem é baseados nos estudos de pesquisadores da King's College de Londres e das Universidades de Delaware e do Novo México que compararam resultados de testes de inteligência aplicados a 425 vietnamitas, de 31 a 44 anos.
Os resultados desses testes mostraram que, quanto mais inteligente for o homem, mais espermatozóides ele produz e melhor é a capacidade dos gametas de chegar ao óvulo. E tem mais: especulam se que a inteligência é passada junto com um pacote de atributos (entenda como quiser).
Talvez isso explique porque os homens inteligentes são tão “sexy” (palavra entre aspas porque nem todos eles são – eu particularmente só me apaixonei por um inteligente até hoje, a quem dedico o outro blog e quem sabe um livro). Vai ver que lá no nosso subconsciente nós, mulheres, sabemos que além da inteligência esses homens possuem bons genes e ótimas características.
E pra quem pensa em casar com um cara inteligente a matéria tem mais uma informação importante: “homens inteligentes geralmente são mais saudáveis, estudos anteriores já mostraram que eles também têm menos risco de sofrer de doenças cardíacas e mal de Alzheimer. Os cientistas supunham que os mais espertos tendem a escolher trabalhos menos estressantes e que permitem maior qualidade de vida”.
Ta esperando o que? Corra atrás de um geerk! Em universidades bem conceituadas, em festas de anime, em lojas de computadores e games ou até mesmo no setor de tecnologia da sua empresa.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Quanto mais escolaridade maior as chances de conseguir emprego

No início do ano traçamos muitos planos e entre eles sempre colocamos “melhorar a vida financeira”, muitas vezes sonhamos com empregos e salários melhores, mas poucas vezes nos preocupamos em nos especializar em uma área ou fazer cursos complementares que nos diferencie no mercado de trabalho.
Uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV) faz uma analise dos impactos sobre os salários e a empregabilidade individuais de investimento em anos a mais de educação. Segundo essa pesquisa uma pessoa com curso superior completo tem mais de 80% de chances de conseguir um emprego e em média ganha R$ 1.728,15 (dependendo da profissão). Já uma pessoa somente com ensino médio recebe em torno de R$ 827,41, analfabetos ganham cerca de R$ 392,14.
Em seu site a FGV disponibiliza essa pesquisa completa e ainda traz um programa simulador onde você preenche a carreira desejada, a área onde pretende trabalhar e o nível escolar e consegue obter qual seria o seu salário naquela função.
Além disso, eles disponibilizam um quadro com as 200 profissões com melhores salários para auxiliar as pessoas a escolherem uma carreira promissora.
O ano está apenas começando e muitas universidades e escolas profissionalizantes estão com inscrições abertas, para realizar esse desejo de aumentar a renda vale a pena se inscrever em algum curso e investir num futuro promissor.
Algumas prefeituras oferecem cursos profissionalizantes gratuitamente e também possuem órgãos para recolocação profissional para quem começou o ano desempregado ou pretende mudar de emprego.
O que vale mesmo é aproveitar esse período para pensar no que realmente precisa ser mudado, traçar um plano dizendo onde você deseja chegar profissionalmente o que é preciso ser feito para chegar ao alvo. Muitos profissionais de consultoria ensinam que com um plano estratégico desenhado em um papel fica mais fácil se ter noção do que é necessário realizar para cumprir suas metas seja financeira ou em qualquer outra área.
Segundo o simulador do site www.fgv.br/cps/iv eu devo ganhar em torno de R$ 1.313,61 no programa geral, no simulador com profissões não tem jornalismo, mas na revista Gloss desse mês está dizendo que um profissional de jornalismo ganha em média R$ 2.761,00 se não me engano.
Estou perto da primeira opção...almejando a segunda.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Iiiiiii sobrou pra mídia

As novas regras gramaticais da língua portuguesa entraram em vigor no dia 1 de janeiro, fruto de um acordo entre alguns países que falam esse idioma. No Brasil o novo acordo ortográfico muda apenas 0,5% das nossas palavras e adiciona 3 letras ao nosso alfabeto: k, y e w.
Para ajudar a população a ir se familiarizando a imprensa já está adotando a nova forma de escrever, antes mesmo do Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa sair (previsto para fevereiro).
Sobrou pra mídia se atualizar antes de todos para fazer o papel de educadora que também é seu. E nós redatores e editores teremos que nos aprimorar para escrever tudo certo sem a ajuda do antigo dicionário.
Acredito que as piores mudanças são na colocação do hífen e na extinção dos acentos em ditongos e também os acentos diferenciais que mudam palavras com a mesma grafia, mas significados diferentes como o ‘pára’ (verbo parar) do ‘para’ (preposição), sem acento será difícil colocar essas palavras no texto sem fazer a frase perder o sentido.
Na verdade acho que muitas dessas mudanças são desnecessárias, passamos a vida toda tentando aprender e agora temos quatro anos pra esquecer algumas regrinhas básicas e aprender tudo de novo. Independente da minha opinião, já decidi que essa semana vou substituir a página de fofoca pela nova escrita portuguesa, explicar as regras, o que muda, o que permanece e o que nos deixa em dúvida. Eu acredito no dever de educar da imprensa e por isso vou aprender para ensinar.