Jornalismo: Ministério da Verdade

É incrível como as obras de George Orwell estão cada vez mais atuais, parece até profecias. Eu abri esse blog com uma "interpretação" do livro "A Revolução do Bichos" e hoje quero falar sobre o "Ministério da Verdade" descrito no livro 1984.
Os meus colegas de profissão têm me decepcionado bastante, chego a sentir vergonha de ser jornalista devido ao tamanho das mentiras que são colocadas nos noticiários todos os dias. O pior que são mentiras contadas com tanta convicção que elas se tornam verdades.
A gente aprende na faculdade que o jornalismo é feito com apuração de fatos. Chegamos nas salas de aula acreditando que poderemos mudar o mundo publicando aquilo que realmente aconteceu doa a quem doer.
Quando cheguei no JP eu me deparei com uma realidade completamente diferente, e olha que somos um jornal pequeno sem grandes fins políticos e posso até dizer que não somos tendenciosos. Mas não posso isentar nossa culpa na reeleição de políticos que não prestam. Sim, porque graças a 'generosidade' deles com o dono do jornal a verdade da má administração e da corrupção foram BARRADAS na redação.
Nós jornalistas sabemos como maquiar um fato. Se nos interessa que ele seja bonito, faremos ele ser, esconderemos as marcas, pó compacto, corretivo, blush, gloss e etc... Somos verdadeiros maquiadores, por outro lado se é interessante que ele seja feio, faremos aquelas maquiagens dignas da turma do Playcenter que prepara os monstros pra noite do horror.
Somos maus e gananciosos, na verdade não os profissionais, mas os donos das empresas jornalísticas e isso mancha nossa imagem diante da população. Em breve ninguém mais vai acreditar nos jornalistas.
O livro 1984 narra a história de um governo autoritário que entre outros ministérios sustenta o Ministério da Verdade responsável, ironicamente, pela falsificação de documentos e qualquer artigo que possa servir de referência ao passado de forma que ele sempre condiga com o que o Partido diz ser verdade atualmente. Por essa lógica, o Partido é infalível, pois nunca erra.
E a ironia está exatamente no fato do Ministério da Verdade, onde Winston (o protagonista do livro) trabalha, ser responsável pelas mentiras. (Wikipedia)
Parece que Orwell recebeu uma revelação divina sobre o jornalismo do século XXI, é exatamente o que fazemos hoje, somos responsáveis por várias mentiras, conceitos gerados pelos nossos preconceitos, pela nossa descrença, pela nossa arrogância, ganância e ignorância.
Muitos falam sobre o DIREITO À INFORMAÇÃO, acredito nele sim, mas acredito no direito à informação correta, sem maquiagem, mostrando os lados da história. Mas infelizmente isso está mais para uma utopia de quem acabou de sair da faculdade do que no dia-a-dia das redações.

3 comentários:

Mikael Ferreira disse...

Muito bom teu texto. É realmente triste ver o que acontece nas redaçoes hoje em dia. Pessoas manipulam as informaçoes da forma que acham melhor pra cada um. A verdade da espaço e mentira sem fim, que uma vez iniciada só tende a crescer.
Sempre tive vontade de fazer jonalismo, mais algumas açoes dos jornalistas de hoje desanimam o que pretende faze-lo. Creio que presto Vest. esse ano pro curso.

Se ainda não teve a oportunidade, te indico o Livro 'A Arte de Fazer um Jornal Diario- Ricardo Noblat' muito bom este livro. Tive a maravilhosa experiência de acompanhar cada capitulo desta obra de ultilidade para qualquer um que pense, ou faça jornalismo.

Grande abraço.

Lucas Fernandes disse...

Leiliane,

Um desabafo muitos julgam comum ou como simples reclamação, mas que avalio, na condição de graduando em jornalismo, ser um fato passível de reflexão e mudança de postura.

A categoria não pode se sujeitar a prática do jornalismo omissão, pois na verdade, o jornalismo vem cometendo duas mentiras, em uma só ação: omite e induz o leitor a acreditar na omissão. Ou seja, mente e faz o leitor propagar e absorver a mentira.

Somos, na grande maioria, intencionados, mas passivos ante a ordem e o medo da substituição por outro profissional. Vivemos o regime da mercadoria, onde o objeto somos nós e o fruto dele é a notícia, ausente (de opinião implícita e de informação útil ao leitor, que não tem subsídios para refletir e é sempre o último a saber).

Abraços e seja bem-vinda a conhecer o Sem Fronteiras.
___________________________________
http://semfronteirasnaweb.blogspot.com

Carol°°°Paula disse...

eu nunca imaginei que era desse jeito..
mas como vc disse, não são os jornalistas que são gananciosos mas sim os patrões...
nunca pensei que era assim, pois parece tudo verdade, até pensava em ser jornalista para "um mundo melhor"... mas ai tem manipulação até nisso..
eu entendo vc!um dia eu tenhoesperança q isso mude

Tecnologia do Blogger.