terça-feira, 26 de maio de 2009

A falta de educação no trânsito

Em uma aula de direção o professor do curso de CFC exemplificava os maiores problemas do trânsito do Brasil, boa parte causada pela falta de educação dos condutores e também pedestres.
Um bom exemplo disso foi o caso do deputado paranaense, o laudo do Instituto Médico Legal (IML) confirmou que o deputado estadual Fernando Carli Filho, de 26 anos, estava sob efeito de álcool na madrugada de 7 de maio, quando provocou um acidente em Curitiba que matou duas pessoas.
O que todo mundo se pergunta é como uma pessoa com uma vida social tão privilegiada consegue ser negligente ao ponto de beber sozinho quatro garrafas de vinho (segundo informou à polícia os garçons do restaurante onde o deputado estava) e ainda sair dirigindo pela cidade.
A falta de educação é o fator primordial para causar acidentes, falta de respeito com a pessoa que segue do seu lado na pista ou com a pessoa que está atravessando. É por isso que o no Brasil o trânsito mata mais que arma de fogo.
O instrutor seguia explicando como ele tenta formar um condutor ensinando para ele as normas do Código Brasileiro de Trânsito (CBT) que é bastante complexo, mas que visa fazer das vias somente um local de passagem e não um campo de guerra. Para ele as novas regras para tirar a CNH que entraram em vigor no início desse ano fazem parte do processo de “educação” de trânsito. Uma vez que você paga mais caro e tem que se esforçar mais para conseguir uma coisa você a valoriza.
Parece que os órgãos da área querem impedir que as pessoas percam suas habitações por motivos banais, fazendo com que elas percebam o quanto isso é importante. Mas além das multas e pontuações perdidas é necessário rever o código criminal para punições mais severas em situações, por exemplo, com quem causa um acidente dirigindo embriagado.
Muitas vezes a gente ouve pessoas dizerem que o problema da educação no país é a chave para melhores empregos e para diminuir a desigualdade. Porém, nesse caso não é só o governo que tem que promover a educação, uma vez que não falamos de ciências exatas e biológicas, mas a educação de moral, de cidadania. Essa sim precisa ser exercitada no dia a dia independente da idade e do lugar onde ela mora.
Para finalizar a aula o professor passou alguns vídeos sobre acidentes fatais nas estradas brasileiras e diante de imagens fortíssimas a gente percebe que o respeito ao próximo e a si mesmo é o que tem faltado na humanidade, não é mesmo deputado?
Esses casos me revoltam!!!!

3 comentários:

Rosangela A. Santos disse...

Não só a vc mas acredito que a mairia das pessoas .. é sempre um querendo ser mais esperto que o outro ... repeito tai uma coisa que muitos e muitos deveria aprender não só no transito em toda situação do contidiano..

Abç.

Marcus Alencar disse...

Não só a educação é essencial para o convívio em sociedade como também é fundamental para garantir que acidentes não aconteçam por motivos banais, originados da responsabilidades de pessoas que se afundam num copo álcool.

SuSiRo disse...

A educação de um modo geral e o respeito pelo ser humano deve ser uma mobilização de toda a sociedade.
Depois me perguntam porque tenho medo de dirigir.

Bjs, Beta.