segunda-feira, 11 de maio de 2009

Não jogue lixo no Rio

Finalmente a matéria sobre o trecho do extremo leste do Rio Tietê saiu no jornal. Um dos moradores filmou a área e me trouxe para que eu tivesse uma noção do caos do lugar. Há uma vegetação nas águas do rio que tem impedido que a água escoe o que pode gerar enchentes. Outro problema grave é a quantidade de lixo, na verdade todo o trecho do rio que passa pela cidade de São Paulo é um problema, problema que deve ser tratado pelo governo, mas que não foi causado por ele. Os moradores reclamam do odor do local, mas o lixo jogado e o esgoto lançado nas águas não são da casa do governador José Serra, o ódio que eles lançam sobre a prefeitura e governo não tem lógica uma vez que o lixo é jogado no rio pelos próprios moradores. Em um dos vídeos, sem querer, ele filmou umas crianças jogando vários pedaços de madeira no córrego. Perguntei que eram aquelas crianças e ele me respondeu que eram moradores do local, a casa estava na beira do córrego, seria com certeza uma das primeiras vítimas em caso de enchente. Eu fiquei incomodada com isso, eu estava toda preocupada em dar voz para aqueles moradores para que o problema deles seja resolvido enquanto que eles não se conscientizam que boa parte dessa sujeira toda do Rio partiu da casa deles. Não quero acusá-los, mas quero dizer que medidas simples como NÃO JOGAR LIXO NO RIO já resolveriam o problema principal. Isso precisa ser passado de morar para morador, de pai para filho. Não acho que estou pedindo muito. O sr Roberto até ficou constrangido, mas alguém precisava dizer que se o rio está daquele jeito é culpa nossa! Conversei com o diretor de engenharia do DAEE (Departamento de Águas e Energias Elétricas ) que me explicou que essa vegetação nasce porque a quantidade de lixo torna a água fértil. Veja a foto, parece que é um rio? Pelo que o engenheiro afirmou também há um projeto da Sabesp para que o esgoto seja desviado e não caia mais dentro do Tietê. Para as obras de limpeza desse trecho do rio o órgão responsável espera a aprovação de uma verba extra de R$ 100 milhões, ou seja, isso não vai acontecer nem tão cedo. O que é uma pena.



Garrafas entompem trecho do Rio
Esgoto das casas caem diretamente no córrego e moradores ainda jogam lixo

As águas foram encobertas por essa vegetação, a quantidade de lixo tornou o rio fértil



5 comentários:

Fabricio bezerra da guia disse...

eu já ouvi falar que o rio tietê já foi pior.eu acho um absurdo jogarem lixo num rio.antigamente as pessoas não tinham consciencia sobre isso,hoje tem um pouco,mas é um bom começo

Laís Dias disse...

Na realidade, isso me faz pensar o que aconteceria se eu jogasse lixo na rua nesses íltimos dias. Porque aqui onde eu moro, sergipe, está chovendo estupidamente desde ontem, e não uma simples garoa. Tanto que as esquinas da minha rua, e os cantos da praça, estavam cheios, os carros tinham de passar devagar para não quebrar e em outra cidade daqui do estado ja encheu tanto que levou um bar embora, a chuva. Ou um ou dois. A canal anda transbordando. Isso traz problemas aqui, mas o pior são nos lugares sujos, nas ruas cheias de lixo. Acho que isso tem de ser uma consciência do próprio morador, porque não se pode reclamar de barulho segurando um rádio no máximo. É realmente algo importante as pessoas tomarem consciência, apesar de muitos parecerem ser surdos...
Gostei muito da postagem!

Bruno disse...

O Homem eh realmente foda,urina,defeca e suja a própria água q toma...lamentavel


http://cafeholandes.blogspot.com/

palavras ao vento disse...

ate hj não sei pq a spessoas agem assim...poluindo os nossos rio...quando a agua acabar de vez...ai essas pessoas vão querer fazer algo....ate la paciencia...

Renata Bertolini disse...

Se as casas estão na beira do Rio, quer dizer que em algum momento houve uma falha na fiscalização. Não quero que os moradores sejam expulsos de seua casa, longe de mim. O que eu quero dizer é que o problema é muito maior, como a falta de moradias populares, por exemplo. Mas eu tenho esperança de que nosso rio um dia fique lindo como o Sena ou aquele rio da Coréia, que passou no Jornal Nacional!