quarta-feira, 23 de setembro de 2009

De repente freelancer


Não tenho tido muito êxito nessa tentativa de voltar ao mercado formal de trabalho, área completamente abarrotada de profissionais e por esse motivo muito pouco valorizada, sem contar que hoje nem é mais regulamentada.
Esses dias cheguei em uma empresa e o dono já foi pedindo para eu entrar, ele tinha acabado de anunciar uma vaga para Criação de Marketing e achava que eu era a primeira candidata. Assustado com o currículo de jornalista ele me pergunta: e como você vai fazer agora que não precisa de Mtb?
Não sei o que vou fazer, mas por sorte virei freelancer. Estou com dois trabalhos engatilhados. Um começo para quem não tinha nada em vista. Assim como muitas pessoas o trabalho freelancer vira uma opção momentânea. Mas estou pensando em adotar isso como carreira. Será que consigo?
Conheço pessoas que já se deram bem com isso (né Lidi?) mas não sei se me encaixo no perfil de um profissional autônomo sem uma carteira de clientes que compareçam firmemente no final do mê$.
Fora isso, ainda preciso decidir se assumo o freela de jornalista ou de assessora. Infelizmente as pessoas não conseguem associar os dois trabalhos no mesmo profissional. Amo a reportagem, mas a assessoria é muito mais vantajosa.
No momento estou produzindo uma matéria para uma revista teen e fazendo a assessoria de um evento musical. Por enquanto dá pra conciliar, mas não sei decidir qual dos trabalhos eu invisto mais...
Enquanto não escolho deixo aqui algumas dicas que peguei no livro “Jornalismo Freelance, Empreendedorismo na Comunicação” de João Marcos Rainho:

Freela de texto:
Montar cadastro de editoras divididas por assunto e um cadastro de editorias por veículos.


Freela Assessoria:
Consiga um catálogo de empresas da área e de departamentos de comunicação de empresas. Saiba quem é quem nesses locais. Quem decide, quem contrata ou pode contratar freelas.

Regra geral:
Definir os veículos ou empresas aos quais você se julga apto para prestar serviços e depois faça contato.

3 comentários:

CAMIS disse...

É uma boa maneira de começar.Pelo que mts comentam, ainda mais os jovens que pretendem investir na area.

WWW.TEORIA-DO-PLAYMOBIL.BLOGSPOT.COM

isa disse...

Olha, aprendi que "o caminho se faz ao andar"; o melhor é se entregar com paixão ao que faz, tentar dar o melhor de si, com confiança e aos poucos tudo vai sendo definido. Já trabalhei como freelancer e, sim, você está certa, a grande questão é mesmo a financeira. Talvez seja algo temporário que te possibilite algo definitivo, quem sabe? Boa sorte e grata por ter passado no meu blog e me desejado saúde, é do que mais preciso no momento. Abraço! :.) Isa Fonseca

Fazenaro disse...

Bem legal a postagem.
Confesso que fui atraído pelo título, muito bem escolhido.

Trabalho com o mercado de freelancer a pouco mais de um ano, e gosto muito de ler a respeito. Sobre como as pessoas decidem em se tornar um freelancer, qual o motivo, ou como gerenciar a vida de freelancer (trabalho, projetos, contas, vender seus serviços), etc.

Abraços,
Marcelo Salles
Comunica Geral – Empresários criam projetos e Profissionais fazem propostas
www.comunicageral.com.br