sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Home Office

Continuo na vida de freelancer e apesar da insegurança até que tem suas vantagens, por exemplo, trabalho em casa fazendo meu horário, não pego condução lotada e nem trânsito. Estava conversando com uma das minhas tias pelo telefone essa semana, explicando pra ela o meu trabalho como assessora de imprensa. Por hora, tudo o que eu preciso para realizá-lo eu tenho em casa: computador, internet e telefone.
Mas apesar de trabalhar do lado da minha cama preciso ser bastante organizada a ponto de definir meus horários e me cobrar por causa dos prazos. Na última semana tive apenas três dias para divulgar um evento. Se eu não fizesse um plano de trabalho e seguisse rigorosamente o trabalho não teria dado tão certo.
Por outro lado enfrento um dilema: as pessoas não levam o trabalho a sério. Digo as pessoas aqui de casa. O pensamento que se tem de um trabalho está ligado a bater ponto todos os dias, ter benefícios, ser cobrado por um superior e etc. Minha mãe acha um absurdo que eu consiga trabalhar no meu quarto, ouvindo música e ainda com o msn ligado.
Tenho feito bastante pesquisa sobre o tema 'home office', acredito que seja o futuro do mercado de trabalho, principalmente para quem trabalha com comunicação. É mais econônico tanto pra empresa como para o profissional e se esse for bem disciplinado terá resultados até maiores do que teria dentro de um escritório.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Só assinando o contrato

Demora um tempo para que os recém-formados entendam o mercado de trabalho, isso porque somos formados para sermos funcionários, poucas faculdades ensinam os alunos a adminstrarem suas próprias carreiras e o empreendedorismo não é uma coisa muito fácil. Eu, por exemplo, estou tentando aprender na raça.
Me arrependi de não ter exigido a carteira assinada no JP, acredito que o pior erro de um profissional é não brigar por seus direitos. Outro erro que cometi nessa pequena "cartela de clientes" que consegui é não ter pedido contrato.
É um engano acordar as coisas só por palavras mesmo que você esteja colaborando com a empresa há algum tempo peça a fomalização do job ou da pauta, isso é bom para que os valores e as condições de trabalho sejam confirmadas. Aprendi isso tarde de mais...
Eu achei que por prestar trabalho para uma empresa por várias vezes eu poderia ocultar na conversa o "preço" do trabalho, achando que já saberiam. Desenvolvi mais uma vez um trabalho com ótimos resultados e ficou por isso mesmo. Sem um contrato assinado eu não podia cobrar nada, fiquei sem receber e a culpa foi toda minha. Mas agora aprendi: só assinando contrato!