quarta-feira, 22 de setembro de 2010

A imparcialidade da grande Imprensa

Eu recebi uns comentários na postagem anterior que me fizeram pensar um pouco: a gente acredita que há meios de comunicação isentos de emitir suas próprias opiniões sempre pensando no leitor que espera receber "a verdade" sem qualquer tipo de interesse.
Mas hoje, depois de quase quatro anos formada eu sei que essa isenção é inexistente. Todo meio de comunicação apresenta o lado da história que lhe interessa (seja interesse político ou financeiro). E não é só em grandes veículos como a Época, a Veja, a Folha e o Estadão que isso acontece.
Trabalhei por um ano e meio em um jornal regional, bem pequeno, e sempre busquei informações importantes para as cidades onde ele circulava, mas por muitas vezes minhas matérias "isentas" (sim, eu sempre trabalhei direito) foram substituídas por matérias "polêmicas" feitas pelo editor chefe a mando do dono do jornal para extorquir alguns prefeitos.
Eu sempre achei e sempre vou achar esse tipo de atitude uma grande falta de respeito com a população, mas também sei que nenhuma dessas informações era inverdades, muito pelo contrário, infelizmente os documentos provavam todas as acusações e exatamente por isso alguns políticos pagavam para abafar o caso. #prontofalei
Quero dizer que se coloquei links de veículos que são criticados pelo tom de suas reportagens é porque sei que, apesar de serem sujas, as informações são sim verdadeiras, talvez estejam focadas apenas para defender um lado da notícia, mas são fatos que realmente aconteceram. E são tão sujas quanto a política brasileira.
Falar de imparcialidade hoje chega a ser uma utopia, ainda mais com a internet onde cada um escreve a notícia que quer, do jeito que quiser. Se isso é bom ou ruim, eu respondo: é ruim... é péssimo!! Mas espaços como esse meu Bloco de Notas só reforçam essa ideia, porque aqui eu escrevo a minha ótica das coisas, de tudo um pouco daquilo que passa nos meus olhos e na minha mente.
Nem sempre tenho razão, da mesma forma que os grandes veículos nem sempre estão certos. Mas nem por isso deixamos de merecer atenção e respeito quanto ao que falamos.
Resumão: A imparcialidade no jornalismo existe, mas praticamente é impossível de ser praticada nos dias de hoje.
Para ler: Padrões de Manipulação da Grande Imprensa, ensaio inédito de Perseu Abramo. #ficaadica

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Não vote, por favor

Eu sei que muitos dos meus leitores caem aqui com pesquisas na internet e que nem sempre tem a ver com política, mas quero voltar a falar sobre isso porque me interessa e me preocupa. As pesquisas apontam que pessoas despreparadas estão praticamente eleitas e eu não posso aceitar isso calada. Preciso dizer que a coisa está ruim e ela pode piorar sim! A menos que eu e você evitemos isso.
Eu não quero, como disse no outro texto, indicar nenhum candidato, só alertar que nem tudo que reluz é ouro. E como seu voto afeta minha vida eu preciso fazer alguma coisa para impedir que vocês afundem o Brasil. Por isso, repasso alguns links curiosos para você ler e tentar mudar o resultado dessas pesquisas lá no dia 3/10.
Palácio do Planalto:
http://bit.ly/9dwIWU
http://bit.ly/aE4p7P
http://bit.ly/9OPwkz
Senado:
http://migre.me/1hlIe
Deputados:
http://bit.ly/9MNUZb
http://bit.ly/ariWrr

Acompanhe as notícias sobre quebra de sigilo, lobistas e etc pelo site da Veja.
E especialmente leia a matéria da Veja São Paulo que explica direitinho todos os cargos políticos.
Clique aqui acredito que bem informados vocês saberão o que fazer. (Assim espero!)
Dica: Se você não sabe em quem vai votar para deputado federal faça um teste on line para saber qual deles tem as mesmas opiniões que você sobre alguns temas importantes através do site: http://www.extratoparlamentar.com.br/

Vamos fazer do Brasil um país melhor.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Como perder gordura localizada?

Eu volto a falar desse assunto porque não tive bons resultados. É, amigos... ainda tenho que rebolar para colocar algumas peças de roupas e não estou gostando nada disso! Comprar um número maior nem pensar... eu me nego a comprar uma calça 44!!!
Mas então... o que fazer para perder essa gordura localizada nas pernas e quadril??
Além de comprar um creme redutor eu pesquisei alguns exercícios que podem sim diminuir essas gordurinhas chatas que só com dietas não saem.
Os mais indicados, segundo pesquisa rápida na internet, é a caminhada e andar de bicicleta. Esses exercícios agem no local queimando gordura e não calorias que é o tipo de energia consumida pelos outros exercícios físicos.

E não é só isso: essas atividades são boas para o coração e para alma, pois aliviam o stress,
reduz a ansiedade e a depressão. Muito bom, né?

E então, vai ficar aí parado?? Vamos pedar!!!!



*Outra BOA E VALIOSA DICA é reduzir o consumo de carboidrato durante a noite.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

O menino da rua de trás - Mais um caso de intolerância

Ele era um menino comum, de uma família comum. Morador de um bairro sem nenhum glamour, onde as pessoas precisam se esforçar muito para conseguir o mínimo de dignidade necessária para sobreviver. Eu me lembro que quando criança ele era muito peralta. Daqueles que chutavam a bola no portão dos vizinhos, que brigava por pipas e bolinhas de gude.
Mas a maturidade chegou. Já não era mais um garotinho impossível, agora era um homem de 24 anos que lutava para sustentar sua mãe e irmãs. Estudava na Fatec, comemorava ter conseguido um emprego bom e fazia planos de se casar.
Coisas aparentemente simples para quem sempre teve de tudo. Mas aqui, esse tipo de atitude é raro. Geralmente o que ouvimos é que para superar a perda de pai e a falta de recursos financeiros muitas pessoas se envolvem com o crime e com drogas. Mas ele não. Ele conseguiu sozinho ficar longe dessas coisas.
Lembro que nos finais de semana ele costumava passar na minha rua para dar um oi para os amigos. Aquele grupinho de amigos de infância de quem a gente faz questão de não perder contato. Muita vezes eu chegava em casa e encontrava todos eles sentados na ponta da viela que liga uma rua à outra e dizia: Oi meninos!! Um jeito carinhoso de quem, que por mais que tenha quase a mesma idade, os viu crescer.
Mas agora o meu "oi meninos" vai ter um destinatário a menos, pois no último sábado, esse menino, chamado Felipe, foi assassinato. Mais uma vítima da intolerância. Ele estava em uma lanchonete com um amigo que se envolveu em uma discussão, sem saber que o rival estava armado. Ele não teve chances. Morreu ao defender esse amigo.
Fiquei pensando em quanto somos limitados. Não sabemos quando nem como vamos perder algum ente querido. Estamos acostumados a ver essas tragédias na TV e quando ela acontece perto, do lado ou na rua de trás, você para pra pensar... Fica triste e tenta imaginar quem pode ser o próximo...
Mas vivemos numa sociedade cada dia mais intolerante, mais violenta, mais injusta. Não importa quem seja, onde mora, quanto ganha. Qualquer um de nós podemos ser vítimas de situações como essa. Mais um inocente morto pelas mãos brutal de alguém sem caráter e sem alma.
Esperamos justiça!! Descance em paz, Felipe!!



"Sonho com o dia em que a justiça correrá como água e a retidão como um caudaloso rio." (Martin Luther King.)

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Conselheira amorosa

Desde que escrevi um artigo para o Guia da Semana (em novembro de 2007) eu passei a receber e-mails de leitoras que passam por situações parecidas com as que escrevi. Muitas me pedem conselhos e apesar de não ter boas experiências com relacionamentos eu tento ajudá-las.
Esses dias uma jovem veio me dizer que ficava constantemente com o mesmo cara, que era seu melhor amigo, mas que ele não queria assumir um relacionamento sério com ela e até chegou a ficar com outras. Mas ela é extremamente apaixonada por ele e queria saber o que fazer: desistir ou se declarar?
Que coisa mais difícil, ein!!! Eu nunca me declarei pra ninguém, quer dizer... uma vez por e-mail quando gostava de um cara que nem me conhecia. Nos outros casos não. Já me arrependi de nunca ter feito isso, mas depois dos anos eu descobri que fiz a coisa certa. Como a jornalista Julia Duarte escreveu como comentário no Soul Menina (fechado por tempo indeterminado): Tem relações que simplesmente não eram para acontecer.
Sempre digo para colocarem em uma balança os prós e os contras daquele relacionamento e pesar para saber se vale a pena continuar. Todas as vezes que eu pesei deu que eu sofreria mais com ele/s do que sem.
A Ná* seguiu meus "conselhos" e ficou na dela. Todos os dias ela me contava pelo MSN o que tinha acontecido. Parecia que ele gostava dela e não queria assumir. Até que um dia ela veio me dizer que ele a pediu em namoro. Fiquei super feliz!! Ela até agradeceu a força que dei.
Esses dias assisti dois filmes sobre conselhos amorosos e me identifiquei com eles. Geralmente o conselheiro pega suas frustrações para ajudar os outros. É mais ou menos isso que eu fiz! E apesar da minha experiência zerada até que consegui ajudar :)

Vale a pena assistir: "Hitch Conselheiro Amoroso" e "A Verdade Nua e Crua" #ficaadica

Sonhos de uma jornalista

Já faz um tempo que eu sonho em trabalhar como um segmento do jornalismo. Tive boas oportunidades e conto com essas experiências para tentar alcançar oportunidades ainda maiores. Dizem que eu levo o jeito pra coisa, e eu sei que isso é verdade.
É diferente quando você faz alguma coisa que te dá muito prazer. Como já escrevi nesse blog antes. Muito mais do que o valor financeiro daquele trabalho é a realização profissional, e nesse caso, a realização pessoal que me dá.
Há alguns meses rejetei um trabalho para esperar a resposta de um outro teste. Não recebi a resposta até agora (nem positiva, nem negativa) mas continuo tentando em outras. As vezes parece que estou escolhendo emprego, mesmo sabendo que o mercado de trabalho para jornalistas não é nada fácil.
Mas eu não quero me afastar desse sonho. Não quero me arrepender mais tarde de ter desviado do foco que tracei para seguir carreira. Já aceitei trabalhar sem receber, já aceitei receber pouco e já recebi muito. Tudo para não mudar meu alvo. Quero insistir nisso, pois é o que eu amo fazer.
#pensamentos