Consciência Negra: Comemorar ou Reivindicar?

Tenho uma sobrinha de 4 anos que não quer mais ir à escola porque seus amigos ficam caçoando dela, chamando-a de “neguinha”. O que dizer para uma criança que se sente rejeitada pela cor da sua pele?
Minha mãe lembrava esses dias que na terceira série eu fui ameaçada de morte por uma “coleguinha” de classe. Eu chegava em casa com as pernas roxas de tanto tomar chutes e o motivo: ser negra. (Minha mãe foi até a diretoria e depois de umas conversas o problema foi resolvido e hoje, eu e a Thaís até somos amigas).
Impossível dizer que esse tipo de caso só aconteça com crianças porque nesse ano eu fui várias vezes vítima de racismo. Infelizmente os grandes formadores de opinião desse país não foram educados a tratar as pessoas de forma igual, respeitando seus direitos como cidadãos.
Ainda é raro ver um artista negro fazendo sucesso na TV e nas capas das revistas, quando isso acontece, sempre usam photoshop para clarear um pouco a pele. Não entendo como isso pode acontecer num país como o Brasil onde metade da população é negra/parda.


Como vamos comemorar o feriado da Consciência Negra se ainda ganhamos menos? As últimas análises do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) divulgaram que no Brasil os negros ganham 50% menos que os brancos.
Eu acho um saco ficar dividindo as pessoas por classes e raças, mas o que vamos fazer se aqui isso acontece desde o descobrimento? Mais de 500 anos separando as pessoas, escravizando, explorando... Há muito o que fazer para mudar esse quadro.
Não estou pedindo mais políticas públicas como “Bolsa Família” e cotas em Universidades , porque isso não ensina nossas crianças, que desde pequenas aprendem a tratar o negro com inferioridade, que todos somos iguais. Nem ensina os donos de empresas a olhar o profissional pela sua competência e qualificação, independentemente da sua etnia.
Precisamos mudar essas estatísticas!!! Não podemos mais aceitar essa situação, só temos espaço na sociedade se for ocupando as periferias das cidades e trabalhando em subempregos.
Mais uma vez eu grito: chega de racismo!!!! Vamos lutar por um país justo e com oportunidades iguais.

6 comentários:

Milca Alves =) disse...

A diferença da foto real com a de photoshop é enorme, incrivel como as coisas poderm ser.
Tanto tempo e isso ainda não mudou.

André Ulle disse...

ALgumas pessoas chegam a dizer que exageram ao dizer que o negro é uma vítima da sociedade. Eu pensava assim também, pois estudei em escola pública minha vida toda e sempre morei no subúrbio. Porém na adolescencia consegui bolsa em um colégio técnico, e lá as diferenças eram gritantes, só havia um aluno negro na minha sala, o que foi um choque, porque uma escola com mais de 200 alunos, cerca de 20 deles eram negros.
A esperança está em pessoas que como você gritam! Essa acepção de raça pela cor leva o mundo todo pra um habismo de imbecilidade.
Mas infelizmente o ser humano é esse animal extremamente confuso, sem instintos de principio, e com essa capacidade destrutiva de ser cruel por qualquer detalhe mínusculo.

André Ulle disse...

COrrigindo** mais de 2000 alunos

André Ulle disse...

e corrigindo o abismo*** também rsrsrs

Rolando disse...

Oi. Um comentário: Não existe a cor ou raça parda. Isso só aqui no Brasil... coisa de alguem, provavelmente brasileiro que não estudou a historia do Brasil e a formação de seu povo. Em nenhum lugar mais do mundo. Apareça por lá. Abraços.

030201 disse...

cruel realidade

Tecnologia do Blogger.